Mais uma vez a unidade móvel da Rádio Maristela esteve na região que fica no entorno do Parque Municipal de Exposições Odilo Webber Rodrigues, onde acontece o Festival Internacional de Balonismo, para tratar da reivindicação dos moradores que residem às margens da Rua Universitária e da Estrada do Normélio.
Na manhã desta quarta-feira, 12 de abril, a repórter Melissa Maciel conversou com moradores que têm suas residências na rota secundária de acesso ao Parque de Balonismo e sofrem com o pó intensificado com o aumento de tráfego de carros durante o Festival.
De acordo com o morador Carlos de Matos, há mais de 12 anos os moradores buscam junto ao poder municipal a pavimentação das estradas. Carlos disse que os moradores estão vivendo um verdadeiro descaso do poder municipal em relação a esse assunto. Inclusive o morador se disse chateado pois algumas pessoas julgam que as residências estão em área irregular. “Nós temos energia elétrica, água e pagamos impostos como qualquer outro morador de outro bairro. Temos direito de sermos atendidos nessa necessidade, pois não dá para viver no pó o ano inteiro”, desabafou Carlos.
As residências estão tomadas por poeira de barro vermelho. A cada veículo que passa pela estrada uma enorme nuvem de pó se desloca na direção das residências. Problema esse, que segundo os moradores, se agrava muito durante o Festival Internacional de Balonismo, pois o tráfego de veículos aumentou muito nos últimos anos. “Cada ano as pessoas vão descobrindo essa rota como uma opção para fugir do engarrafamento da Castelo Branco e Barão do Rio Branco, o que comprova que Torres não tem planejamento, pois já deveria ter asfaltado essa estrada para desafogar o trânsito”, conclui o morador.
Carlos ainda ressaltou na entrevista que os moradores da região estão se organizando para a possibilidade de fechar a estrada durante o Festival, impedindo o uso da mesma como rota alternativa de acesso à cidade, como uma forma de chamar a atenção dos gestores municipais para a necessidade da comunidade.
 

 
Na mesma manhã, 12, o secretário municipal de Obras e Serviços Públicos, Davino Lopes, foi entrevistado no programa Revista Maristela, pelo Pe. Leonir Alves, e explicou a dificuldade de atender não só a comunidade do entorno do Parque de Balonismo, como outras regiões que também precisam melhorar as estradas. E sugeriu que uma possível solução seria uma parceria entre Prefeitura e os moradores com o rateio dos custos da obra.
Enquanto comunidade e Prefeitura Municipal não chegam a um denominador comum, a conta de água do Carlos vai aumentar, pois ele encontrou uma alternativa paliativa para amenizar a poeira, molhar, diariamente, a estrada em frente à casa dele.
Confira no registro fotográfico e vídeo o que os moradores da Rua Universitária e da Estrada do Normélio têm vivido nos últimos anos: