A Patrulha Maria da Penha em conjunto com a Base Móvel Comunitária do 2º Batalhão de Policiamento em Áreas Turísticas (2ªBPAT) realizarão a “Blitz pelo fim da violência contra a mulher”, na próxima sexta-feira, 05 de fevereiro, a partir das 10h da manhã. A iniciativa vai ocorrer junto a Base Móvel Comunitária da Brigada Militar, na Avenida Beira-Mar, 1259, no calçadão da Praia Grande em Torres.

Contexto

Desde que a pandemia de coronavírus começou, 497 mulheres perderam suas vidas. Foi um feminicídio a cada nove horas entre março e agosto de 2020, com uma média de três mortes por dia, uma mulher é morta a cada nove horas durante a pandemia no Brasil. Os dados são segundo o monitoramento “Um Vírus e Duas Guerras”, feito por parceria entre sete veículos de jornalismo independente, que visa monitorar a evolução da violência contra a mulher durante a pandemia.

Diante deste cenário violento, a segurança pública cada vez mais investe em mecanismos de combate desse tipo de crime. No município de Torres, a Patrulha Maria da Penha iniciou sua atuação em julho de 2020, com acompanhamento preventivo periódico, garantindo maior proteção às mulheres em situação de violência doméstica e familiar que possuem medidas protetivas de urgência vigentes.

Confira abaixo, os dados de atendimentos da Patrulha Maria da Penha durante 2020 em Torres:

FATOJULHOAGOSTOSETEMBROOUTUBRONOVEMBRODEZEMBROTOTAL
Vítimas atendidas083016100632102
Certidões confeccionadas08301654
Fiscalização MPU06270909051470
Medidas revogadas000
Vítima não localizada01010501011423
Retorno agressor ao lar00010102
Recusa acompanhamento0102010105
Vítima em vulnerabilidade000020204
Prisão agressor0000

Assunto em pauta

Acompanhe a entrevista na Rádio Maristela, sexta-feira, 05/02, às 9h20min, com os soldados Cimara Carpes Obem Grundler e Ederson Luiz Bordoni Valadão, falando sobre a atuação da Patrulha Maria da Penha em Torres e sobre a realização da Blitz.

Central de Jornalismo – Rádio Maristela