Faltava uma despolpadora de açaí para a comunidade Mbyá-Guarani Guyra Nhendu, em Maquiné, no litoral norte do Rio Grande do Sul. Sobrava uma despolpadora na Cooperativa de Produtores Ecologistas Econativa. Entre a aldeia e a cooperativa, a colaboração entre a Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura (Sema) e a ONG de assessoria técnica Centro Ecológico, fez a ponte que vai potencializar a produção da polpa do fruto da palmeira juçara. O equipamento foi levado de Três Cachoeiras para Maquiné, na manhã de quinta-feira 15, pela ONG. Dali, a Sema transportou até a aldeia.

“Faz tempo que nosso sonho é de ter essa máquina, porque aqui na nossa aldeia tem bastante juçara, e muito foi perdido da fruta por causa que nós não temos a máquina”, disse o indígena Hélio, em mensagem enviada pelo whatsapp, junto com esta foto para um dos técnicos da ONG.

O próximo passo, de acordo com a coordenação do Centro Ecológico, é ministrar uma oficina de despolpa e boas práticas, assim que as condições sanitárias relativas à pandemia da covid-19 permitirem.

Central de Jornalismo – Rádio Maristela, com informações do Centro Ecológico