Um projeto pioneiro e que dá o primeiro passo para colocar Santa Catarina no mapa das smart cities (cidades inteligentes), como acontece com Nova Iorque, Tóquio e Copenhague, começa a ser desenvolvido pela Celesc em Araranguá.

Com investimento aproximado de R$23 milhões, o projeto-piloto irá substituir medidores de energia convencionais por equipamentos inteligentes, que disponibilizam dados sobre a qualidade da energia que chega ao cliente, permitem a melhor gestão do seu consumo e perdas, a realização de alguns serviços comerciais de maneira remota e, ainda, a identificação instantânea de ocorrências na rede elétrica, dando mais agilidade aos atendimentos.


“A partir dos resultados obtidos em Araranguá, nossa intenção é ampliar o conceito a outros municípios e colocar nosso estado na vanguarda tecnológica nacional do setor elétrico, também sob esse aspecto”, afirma o presidente da companhia, Cleicio Poleto Martins. 

O município foi escolhido para cidade-piloto do projeto por apresentar critérios técnicos e comerciais favoráveis, como o relevo da região que beneficia a comunicação por radiofrequência entre os medidores e os sistemas da Celesc. 


Fonte: Celesc