Um homem registrou boletim de ocorrência contra o Hospital Santa Luzia, após desaparecimento do corpo de um bebê, sua filha que nasceu morta, na última terça-feira (24/08), em Capão da Canoa. Após a ocorrência, o hospital emitiu nota onde admite que o feto, que veio a óbito por má formação, foi descartado de forma incorreta junto com outros resíduos biológicos do hospital devido a falha operacional. O corpo do bebê foi encaminhado para incineração por engano.

A família buscou ajuda da Secretaria de Assistência Social de Capão da Canoa logo que soube do sumiço do corpo e antes que o hospital esclarecesse os fatos acionou a Brigada Militar e fez a ocorrência policial na Delegacia de Polícia.

Em nota, o hospital afirma que a gestante deu entrada no dia 23 de agosto, estava com 23 semanas de gestação, passou por atendimento médico e na ecografia foi verificada a ausência de batimentos cardíacos e a morte do feto. A mulher foi submetida a procedimentos médicos no dia seguinte.

O homem relata no boletim que sua mulher chegou no hospital com contrações, foi atendida e num primeiro momento disseram que estava tudo bem, só precisava aguardar pelo médico. Esperaram por cerca de uma hora e durante a realização da ecografia, o médico disse que não havia batimentos cardíacos e o feto estava morto. Realizou o procedimento de retirada do feto no dia seguinte e desde então não viu mais o corpo.

O hospital diz que está investigando o que culminou no descarte irregular do feto e que dará todo o suporte necessário para a família.

Confira a nota do hospital:

Divulgação/AESC

Foto de capa: Divulgação/AESC