Trinta e cinco anos após a pavimentação da Serra do Rio do Rastro, uma nova esperança surge para as ligações entre o Sul de Santa Catarina e a Região Serrana. Três novas rotas receberão asfalto e facilitarão o deslocamento de mercadorias e turistas entre o Litoral e o Planalto Serrano. Em recente roteiro pelo Sul, o governador Carlos Moisés assinou a ordem de serviço para a pavimentação da Serra do Corvo Branco e autorizou o início da licitação para a Serra do Faxinal. Além disso, o Governo do Estado entregou à Assembleia Legislativa (Alesc) um projeto de lei para destinar R$ 15 milhões para terminar as obras na Serra da Rocinha, na BR-285.

“São investimentos que farão a diferença para o futuro do Sul e também da Serra. Tanto o Corvo Branco quanto a Serra do Faxinal possuem um potencial turístico imenso. A pavimentação possibilitará um aumento do movimento de pessoas e consequentemente trará mais movimento econômico e novos negócios. No caso da BR-285, ela ajudará no transporte de mercadorias e fará com que boa parte da produção do Rio Grande do Sul possa ser escoada pelo Porto de Imbituba”, afirma o governador.

O secretário de Estado da Infraestrutura e Mobilidade, Thiago Vieira, destaca que o volume de investimentos destinado pelo Governo do Estado para os asfaltamentos e melhorias é sem precedentes. São R$ 40 milhões para a Serra do Corvo Branco, R$ 58,9 milhões para a Serra do Faxinal, R$ 15 milhões para a finalização da Serra da Rocinha e mais R$ 20 milhões para a maior intervenção de engenharia pela qual a Serra do Rio do Rastro já passou desde a sua inauguração.

“Santa Catarina está construindo novos rumos. O Governo entende que a infraestrutura é a base para o desenvolvimento e por isso está investindo pesado na área. Inclusive, estamos colocando recursos do caixa estadual em obras federais, como é o caso da Serra da Rocinha. Para o Sul e a Serra, a pavimentação dessas estradas será um divisor de águas, que impulsionará o desenvolvimento regional”, diz Vieira.


Obras vão destravar gargalos logísticos

No setor produtivo, o clima é de expectativa. O vice-presidente regional Sul da Federação das Indústrias (Fiesc), José Carlos Spricigo, diz que, no caso específico da Rocinha, a obra pronta deve produzir uma movimentação econômica anual superior a R$ 200 milhões. Segundo o empresário, em muitos casos a produção agrícola e de mercadorias é reduzida por causa dos gargalos logísticos.

“Trata-se de uma obra que será fundamental para a nossa região, pelo movimento econômico que ela vai gerar. É gratificante saber que o governador colocou a infraestrutura como uma prioridade efetiva.Hoje o Sul cresce em níveis inferiores às outras regiões. Não tenho dúvidas de que alcançaremos o desenvolvimento com esses investimentos logísticos”, aposta Spricigo.

Outro fator que ajudou recentemente a região foi a conclusão da duplicação da BR-101, no trecho entre Palhoça e a divisa com o Rio Grande do Sul. O prefeito de Imbituba, Rosenvaldo da Silva Junior, conta que a pavimentação das serras multiplicará o embarque de cargas no porto da cidade. Com capacidade para receber grandes navios, a estrutura tem um bom potencial de crescimento.

“Para a região produtora do Norte do Rio Grande do Sul, vai ser mais fácil escoar a produção pelo porto de Imbituba depois que a BR-285 estiver concluída. A única opção para eles hoje é o porto de Rio Grande, que fica mais distante. Nós vemos com muita expectativa esse momento. São investimentos que há muito não se via”, diz o prefeito.

Expectativa no turismo

Nos Campos de Cima da Serra, o sentimento também é de ansiedade. Para Ana Vieira, que coordena o setor de políticas de turismo na associação de municípios local (Amures), a pavimentação do Corvo Branco e a restauração da Serra do Rio do Rastro aumentarão a segurança de quem trafega pelo local. Uma consequência lógica disso será o aumento do fluxo de pessoas. Ela conta que, durante as últimas férias escolares de julho, o movimento já surpreendeu.

“Com a conclusão dessas obras, nós conseguiremos avançar com o projeto da Rota Cênica, que faz a ligação entre as duas serras e forma um anel com os municípios do lado de baixo. Além disso, os turistas terão mais segurança para subir. Na Serra do Rio do Rastro, a contenção das encostas é fundamental. Já no Corvo Branco, o asfalto vai aumentar e muito o movimento. Mais de 80% do nosso público hoje é rodoviário”, conta Ana.

Serra do Rio do Rastro

Considerada uma das estradas mais belas do mundo, a rodovia foi inaugurada em 1986 após dois anos de obras. Por 35 anos, tem sido a única ligação pavimentada entre o Litoral Sul e o Planalto Serrano. O Governo do Estado está investindo cerca de R$ 20 milhões na maior intervenção de engenharia desde a inauguração. O trabalho consiste na edificação de uma série de contenções para evitar o desmoronamento de rochas, que frequentemente interditavam a rodovia e colocavam os motoristas em risco. A previsão é que as obras terminem no fim deste ano.

Serra do Corvo Branco

Desbravada há mais de 60 anos, liga os municípios de Urubici e Grão Pará. O trecho de subida aguarda desde então pela pavimentação. No último dia 27 de agosto, o governador Carlos Moisés autorizou o asfaltamento de 9,4 quilômetros. O investimento será de mais de R$ 40 milhões. O prazo de conclusão é de 18 meses.

Serra da Rocinha

Obra federal, a BR-285 é um corredor biocêanico, ligando Araranguá ao Chile. No lado catarinense, faltam menos de dois quilômetros para terminar a obra. O Governo do Estado, após obter autorização legislativa, investirá R$ 15 milhões. Do lado do Rio Grande do Sul, faltam oito quilômetros de asfalto para chegar na cidade de São José dos Ausentes, com obras em andamento.

Serra do Faxinal

A SC-290 liga Praia Grande até o Parque Nacional dos Aparados da Serra, em Cambará do Sul (RS). A pavimentação chegou a começar na década passada, mas parou antes da conclusão. No dia 25 de agosto, o governador autorizou o início da licitação para asfaltamento, com investimento de aproximadamente R$ 58,9 milhões.

Fonte: SECOM / Governo de SC