Nesta semana, o 1° Batalhão Ambiental, com vistas ao desenvolvimento de ações integradas de repressão qualificada, desencadeou uma operação integrada com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis – IBAMA e Marinha do Brasil, com apoio do Batalhão de Aviação da Brigada Militar – BavBM, sendo realizado fiscalização das embarcações pesqueiras na costa do litoral norte.

Durante a operação foram fiscalizadas diversas embarcações, sendo que em uma delas, a qual se encontrava no Mar Territorial em frente ao município de Xangri-lá, foi flagrada realizando pesca em área proibida, a menos de 4 milhas náuticas a partir da linha da Costa, utilizando equipamentos proibidos, bem como redes com panagem de tamanho de rede além do limite permitido, computando uma extensão de mais de 16 mil metros de rede. No interior da embarcação havia cerca de 14 toneladas de peixes, sendo que muitos destes pertencentes a lista de espécies ameaçadas de extinção como o tubarão anjo e o tubarão martelo, caracterizando vários crimes ambientais previstos na Lei 9.605/98. Também foram recolhidas as redes que se encontravam lançadas no mar, em local proibido, onde foram apreendidas mais 3 toneladas de diversas espécies de peixes.

A embarcação foi escoltada pela Patrulha Ambiental – PATRAM de Capão da Canoa do 1° Batalhão Ambiental da Brigada Militar. Já na manhã desta quinta-feira (28/10/2021), a embarcação atracou no município de Passo de Torres, onde a carga de pescados foi apreendida, bem como a embarcação, as redes de pesca e demais equipamentos proibidos que foram utilizados. Foram presos os responsáveis pela embarcação pesqueira, os quais serão conduzidos até a Delegacia de Polícia Federal em Porto Alegre.

 O IBAMA e a Marinha do Brasil já se encontravam no local para tomarem as providências dentro de suas esferas de responsabilidade. A Polícia Militar do Estado de Santa Catarina, sediada na cidade de Passo de Torres apoiou a guarnição da PATRAM quando da chegada da embarcação.



CABM