Entre a segunda quinzena de outubro e na primeira semana de novembro a Lagoa do Violão, em Torres, apresentou um fenômeno bastante comum no ecossistema, a floração de algas. Este fenômeno trata-se do crescimento explosivo, autolimitante, de curta duração, de micro-organismos de uma ou mais espécies, frequentemente, produzindo coloração visível nos corpos de águas naturais.

A floração de algas é um fenômeno natural que pode ocorrer ou não devido a intervenção direta ou indireta do homem. Os fatores que predispõem a ocorrência deste fenômeno são a alta incidência de radiação solar, oscilação repentina da temperatura da água, ventos fortes, altos teores de nitrogênio e fósforo diluídos, entre outros.

Quando um ou mais destes fatores desaparecem, a tendência é que a visualização do fenômeno acabe. As principais consequências esperadas, vinculadas a floração de algas e as condições químicas do corpo hídrico podem ser a modificação da transparência e turbidez da água, modificação do gosto e odor da água.

Equipes da secretaria de Meio Ambiente e Urbanismo de Torres estão realizando orçamentos para contratação de empresa especializada para realização do monitoramento de qualidade da água e lodo de fundo. Além disso, há a busca por parcerias/convênios com universidades da região visando o desenvolvimento de trabalhos de pesquisa da fauna e flora agregada.

De acordo com a secretaria, com o avanço dos trabalhos no ecossistema da Lagoa do Violão será possível uma melhor compreensão e interpretação dos eventos correlacionados ao surgimento dessas algas na região.


Fonte: Ascom PMT