Segundo informações da MetSul Meteorologia, amanhã, 03/05, terça-feira, um vórtice ciclônico em médios e baixos níveis da atmosfera atua sobre o Sul do Brasil e reforça a instabilidade com chuva mais generalizada no Rio Grande do Sul em direção a Santa Catarina. Durante o dia começará processo conhecido como ciclogênese, o de formação de um ciclone, que vai dar origem a um ciclone extratropical sobre o Sul do país entre terça e quarta, 03 e 04/05.

Os maiores volumes de chuva se darão na metade Norte do Rio Grande do Sul e em grande parte de Santa Catarina, onde a maioria dos municípios terá 100 mm a 300 mm em menos de uma semana.

O pior, entretanto, vai se dar numa faixa que se estende do paredão da Serra do Mar na região de Torres até a área de Florianópolis, o que inclui grande parte do Sul do estado de Santa Catarina. Para estes pontos, os modelos numéricos gerados por supercomputadores sinalizam 300 mm a 500 mm e algumas simulações chegam a projetar marcas isoladas de 500 mm a 600 mm.

O ciclone extratropical, ao migrar para a costa, muito perto do litoral sobre o oceano, espera-se intensa umidade para o continente. O vento que soprará do mar para o continente vai trazer umidade que ao encontrar os morros e montanhas da Serra do Mar gerará chuva induzida por relevo com volumes extremos, o mesmo processo atmosférico que levou ao desastre na cidade fluminense de Petrópolis em fevereiro de 2022.

O cenário meteorológico que se desenha é extremamente grave e de elevado perigo em parte do Sul do país, antecipando-se uma série de riscos para a população que incluem alagamentos e inundações, cheias de rios, enchentes, deslizamentos, quedas de barreiras, e bloqueio parcial ou total de rodovias por inundação ou desmoronamentos.

Transtornos pela chuva podem ocorrer em muitas cidades catarinenses e da Metade Norte gaúcha, mas a zona crítica inclui Morrinhos do Sul, Praia Grande, Timbé do Sul, Criciúma, Araranguá, Tubarão, Urussanga, Lauro Muller e outros municípios a Leste dos Aparados da Serra e do Planalto Catarinense entre o Nordeste gaúcho (Serra, Aparados e Litoral Norte), e o Sul e Leste de Santa Catarina.

Com informações da MetSul Meteorologia.