Cerca de 500 pessoas participaram de ato público em protesto contra o governo do Estado de SC e a SPDM, empresa mantenedora do Hospital Regional de Araranguá, final da tarde de ontem, segunda-feira, 18 de dezembro. A greve que está acontecendo há 8 dias, atualmente 100% dos servidores aderiram ao movimento e os serviços estão sendo prestados por alguns funcionários que se revezam.

Está previsto para esta terça-feira, 19, uma reunião com todos os prefeitos dos 15 municípios da região do Extremo Sul Catarinense para tratar sobre as dificuldades no Hospital Regional.
Também a unidade de Pronto Atendimento de Araranguá não está conseguindo suprir a demanda de pacientes. Devido à restrição de atendimentos no Hospital Regional, o número de pessoas que procura a UPA 24h tem aumentado consideravelmente – a espera pelo atendimento que demorava em torno de 40 minutos, agora demora, em média, duas horas. A UPA está funcionando com três médicos, três enfermeiros e cinco técnicos de enfermagem.
 
Fonte: Revistaw3