Foto: Divulgação

O calendário para pagamento do IPVA 2018 foi divulgado pelo governo do Rio Grande do Sul e começou  no dia 13 de dezembro. Este ano, quem optar pela quitação antecipada, que vai até o dia 2 de janeiro, pode ter descontos que podem chegar até 24,73% sobre o valor do imposto. Para receber o desconto integral, o motorista precisa se enquadrar nas vantagens do Bom Motorista e do Bom Cidadão.
Os condutores que não receberam multas nos últimos três anos terão dedução de mais 15%. Para quem não foi multado há dois anos, o índice é de 10%, e para quem ficou um ano sem infrações, o abatimento é de 5%.
Os proprietários de veículos que acumularam no mínimo 100 notas fiscais no programa Nota Fiscal Gaúcha terão mais 5% de desconto. Esses descontos são válidos para pagamentos antecipados ou não. Para saber se você tem direito, clique aqui. O portal do IPVA também tem uma ferramenta de consulta sobre os valores do imposto.
Quem optar pelo parcelamento do IPVA precisa pagar a primeira parcela até 31 de janeiro. As outras duas mensalidades serão em fevereiro, até o dia 28, e março, até o dia 29. Os descontos são de 3% para a primeira parcela, 2% para a segunda e 1% para a terceira.
Serviço
Quem paga: Todos os proprietários de veículos automotores fabricados a partir do ano de 1999.
Como pagar: Para quitar o imposto, o proprietário deverá apresentar Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV). Junto com o IPVA, é possível pagar o seguro obrigatório (DPVAT), taxa de licenciamento e multas de trânsito.
Onde: A partir de 13 de dezembro, no Banrisul, Bradesco, Santander, Sicredi, Caixa (loterias) e Banco do Brasil (somente para clientes).
Alíquotas: 3% – automóveis e camionetas ; 2% – motocicletas; 1% – caminhões, ônibus, micro-ônibus e automóveis e camionetas para locação
Quem não pagar em dia

  • perderá os descontos
  • terá multa de 0,33% ao dia sobre o valor do imposto não pago, até o limite de 20%
  • depois de 60 dias em atraso, o débito terá acréscimo de mais 5%
  • será inscrito em dívida ativa
  • terá o nome lançado nos Serviços de Proteção ao Crédito
  • sofrerá protesto no cartório da sua cidade
  • sofrerá processo de cobrança judicial
  • Além disso, caso flagrados nas blitze do imposto, os proprietários em situação irregular também poderão arcar com custos de multa, serviços de guincho e depósito do Detran.

A expectativa do governo é arrecadar R$ 2,63 bilhões com o imposto.
Fonte: G1