Márcio dos Santos Salgado, autor confesso do latrocínio que vitimou a jovem universitária Francine da Silva Peres em maio do ano passado, no Balneário Arroio do Silva, foi condenado pelo Poder Judiciário a 30 anos de reclusão, inicialmente em regime fechado.
A sentença foi proferida na tarde de ontem pela juíza de Direito da 1ª Vara Criminal da Comarca de Araranguá, Leticia Pavei Cachoeira.
O réu foi condenado pelo latrocínio – quando um roubo resulta na morte da vítima – com três agravantes: recurso que dificultou ou tornou impossível a defesa do ofendido, uma vez que a vítima veio a falecer no interior do banheiro da casa, quando estava enrolada numa toalha, ficando evidenciado que foi pega de surpresa; com emprego de meio cruel, já que o laudo pericial determinou que Francine foi morta com 10 facadas; e por ter agido contra uma mulher grávida, neste caso a prima da vítima, que sofreu violência ao ser puxada para dentro de casa pelo réu quando chegou no local.
Em contrapartida, foi aceita uma circunstância atenuante, porque o réu confessou, espontaneamente e perante a autoridade, a autoria do crime.
 

Fonte: W3 Revista