A CBF deseja que o técnico Tite continue no comando da Seleção Brasileira, apesar da derrota para a Bélgica nas quartas de final da Copa do Mundo. Ao desembarcar em Moscou vindos de Kazan já na madrugada de sábado (horário local), a delegação indicou que o treinador não perde o seu cargo. “Não há nem mesmo um debate sobre isso”, afirmou um dos principais dirigentes, na condição de anonimato, ao ser questionado sobre o futuro do comandante. Mas outra fonte da delegação indicou que a decisão final terá de vir do próprio Tite. “Ele só não fica se não quiser”, definiu.
O presidente da CBF, coronel Antônio Nunes, não escondia sua insatisfação com o resultado e, apressado ao ver a reportagem, recusou-se a falar. Ao ser questionado se Tite continuaria no cargo, apenas murmurou: “Isso é pergunta que se faça?”. Sua recusa foi justificada por um assistente: “Ele está muito triste”.
A cúpula da CBF, porém, insistia em declarar categoricamente ao entrar pelo hotel de Moscou que Tite continuaria. “O técnico da seleção brasileira é Tite e nos próximos dias a CBF emitirá um comunicado sobre isso”, apontou a fonte. Rogério Caboclo, presidente eleito da CBF e que assume o cargo em 2019, permaneceu com a comissão técnica em Kazan e não viajou com o restante do grupo para Moscou.
Fonte: Correio do Povo