A campanha nacional de vacinação contra a poliomielite e o sarampo ocorre de 6 a 31 de agosto. As vacinas serão
destinadas para quem tem acima de 1 ano de idade até menores de 5 anos que no Rio Grande do Sul
representam 528 mil crianças. A meta é alcançar, ao menos, 95% delas, independente se a caderneta de
vacinação estiver em dia ou não. A mobilização para a campanha foi apresentada nesta terça-feira (17) em reunião
na Secretaria da Saúde (SES) com a presença de representantes do setor público, entidades privadas e sociedade
civil.
O secretário Francisco Paz salientou na oportunidade o declínio que as coberturas vacinais no país e Estado vem
apresentando nos últimos anos. “Esse movimento de afastamento e desinteresse tem como fatores a não
ocorrência recente de algumas doenças no Brasil assim como notícias falsas e campanhas mal informadas”,
afirmou. “Mas, como ainda são doenças que circulam em outros países, essa baixa cobertura das vacinas nos
deixam suscetíveis a reentrada desses vírus”, completou.
O sarampo, por exemplo, não era registrado no Brasil desde 2015. Neste ano, retornou causando mortes no Norte
do país. No estado, já foram confirmados sete casos importados de pessoas com viagem à Europa e Amazonas. A
pólio, também chamada de paralisia infantil, está erradicada do Brasil desde 1994, o último caso registrado no RS
foi em 1983.
A vacina tríplice viral – que protege contra o sarampo, caxumba e rubéola – teve cobertura de 90,5% da primeira
dose (aos 12 meses de idade) em 2016 e 78% em 2017. A segunda dose – dada com a tetraviral (que inclui ainda
a varicela) aos 15 meses de idade – registrou cobertura de 87% em 2016 e 58,7% ano passado. A vacina da pólio
também apresentou cobertura abaixo de 90% nos últimos três anos: 89% em 2015, 84% em 2016 e 81% ano
passado.
Mobilização com outras entidades
Para impulsionar a vacinação na campanha do próximo mês, a Secretaria da Saúde conta com o apoio do Rotary
Internacional, que tem promovido ações em vários países sobre vacinação desde a década de 1980. Seus
distritos, distribuídos em todos municípios gaúchos, darão apoio às secretarias municipais durante a imunização.
A reunião desta terça-feira, na sede da secretaria em Porto Alegre, também contou com a presença de
representantes de outras entidades, como a Federação das Associações de Municípios do RS (Famurs), Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers), Associação Médica do Rio Grande do Sul (Amrigs), Conselho das
Secretarias Municipais de Saúde do RS (Cosems/RS), Sociedade de Pediatria do Estado e Associação Gaúcha de
Emissoras de Rádio e Televisão (Agert).
Fonte: Litoral Mania
 

Foto: Camila Domingues/Arquivo/Palácio Piratini