Na sessão da Câmara de Vereadores de Torres, cumpriu a segunda sessão em pauta, na última segunda-feira, dia 25 de março, o Processo 2/2019, que cria cargos no quadro de servidores públicos do município de Torres.
Se for aprovada a matéria serão criados os seguintes cargos públicos:
Agente Administrativo – 35 horas – 10 servidores
Agente de Recepção e Atendimento – 40 horas – 21 servidores
Arquiteto e Urbanista –  35 horas – 01 servidor
Engenheiro Civil – 20 horas – 01 servidor
Guarda Municipal de Patrimônio – 40 horas – 10 servidores
Motorista – 40 horas – 16 servidores
Operador de Máquinas – 40 horas – 01 servidor
Técnico em Agrimensura – 40 horas – 01 servidor
 
Criação dos cargos SELECIONADOS em concurso agora formaliza o quadro
No corpo do Projeto de Lei, a prefeitura diz que está pedindo esta autorização aos vereadores por conta de haver necessidade de contratações em todas as atividades listadas, já que são cargos selecionados através de concurso público realizado no ano de 2016 e que, consequentemente precisam estar no quadro FORMAL da municipalidade.
Conforme explicação no PL, os cargos de Agente Administrativo e de Agente de Recepção e Atendimento são para atender demanda de serviços administrativos nas diversas Secretarias Municipais; que o cargo de Agente Administrativo, de nível médio, serve para atividades mais complexas e o cargo de Agente de Recepção e Atendimento, no nível de ensino fundamental, para atividades de menor complexidade.
Já os cargos de Guarda Municipal de Patrimônio são para reforçar a equipe da vigilância patrimonial, atualmente bastante deficitária, com aposentadorias de servidores, e aumento de demandas de novos postos; que os cargos de Motorista são para atender demandas das Secretarias, por conta de ter havido a aquisição de diversos veículos novos pela Administração.
Os cargos de Engenheiro Civil e Arquiteto e Urbanista são para lotação na Secretaria do Meio Ambiente e Urbanismo; que os de Arquiteto, para atender demanda de análise de viabilidade e aprovação de projetos urbanísticos; os de Engenheiro para atendimento de demandas de aprovação de projetos de loteamentos, condomínios, laudos estruturais pertinentes a área de engenharia.
E os de Operador de Máquinas são para atendimento de demandas da Secretaria de Desenvolvimento Rural e da Pesca; e que o cargo de Técnico em Agrimensura é para atendimento de demandas da Secretaria de Planejamento.
A prefeitura fez cálculo de impacto financeiro e encaminhou aos vereadores o mesmo, o que justifica a contratação por conta de não alterar índices exigidos pela lei. O PL 2/2019 deve entrar em votação final nas próximas sessões da Câmara, muito provavelmente já na segunda-feira, dia 1º de abril.
 
Fonte: A Folha Torres