Em assembleia geral que aconteceu na noite de ontem, terça-feira, 2 de abril, funcionários públicos municipais de Araranguá reiteraram por unanimidade a rejeição à proposta de reajuste de 4,5% parcelados, ou pagos a partir de junho, vinda por parte do prefeito Mariano Mazzuco.
A rejeição partiu de uma reação dos funcionários da prefeitura e do Samae a um ofício assinado pelo prefeito e encaminhado ao Sindicato dos Servidores do Município de Araranguá (Sindma) nesta semana, que busca fechar a proposta da prefeitura, alegando falta de margem para atender ao pedido de reajuste de 7,6%, proposto pelos servidores.
Propostas alternativas, como o aumento do vale refeição – que não é incluído na folha – não está descartada. De acordo com o presidente do Sindma, Fernando Espíndula, o que se busca é o mais próximo de um aumento real segundo os índices de inflação. Enquanto isso, os servidores permanecem em estado de greve.
 
Fonte: Fernanda Guidi Peplau/Assessoria de Imprensa