Na tarde desta terça-feira, 28 de julho, representantes de 17 entidades associativas comerciais de Torres reuniram-se para discutir pedido a ser enviado ao governador do Estado, Eduardo Leite, sobre a flexibilização da abertura de comércios na cidade e região, entre outras solicitações.

Na reunião, os participantes discutiram três pedidos que devem ser analisados pelo Governador nos próximos dias, são elas:

1. Implementação imediata de 10 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para ampliar a capacidade de atendimentos no Litoral Norte;
2. Flexibilização da abertura do comércio mesmo com bandeira vermelha e;
3. Transferência de autonomia do gerenciamento do Modelo de Distanciamento Controlado para os prefeitos.

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Torres e Região, o empresário Nasser Mahmud Samhan, em entrevista à Rádio Maristela no início da reunião foi categórico ao afirmar que os empresários estão preocupados com o agravamento da crise econômica na região, por conta da prevalência da bandeira vermelha pela sexta semana consecutiva.

“Queremos dar um basta a esta “linha” vermelha que o Governador tem colocado o litoral Norte. A gente não aguenta mais. As empresas estão fechando, o desemprego está aumentando e estamos cansados de depender do Governador. Estamos exigindo do Governador a flexibilização do comércio e que dê autonomia aos prefeitos para definir o regramento em suas cidades. Isso com todos os cuidados, toda a higienização e tudo o que for necessário, explica Nasser.

Na reunião de hoje, 28, foi unânime a decisão de realizar carreata até o Palácio Piratini em Porto Alegre, caso o Governador Eduardo Leite não atenda aos pedidos dos empresários do Litoral Norte.

A carreata está prevista para a próxima sexta-feira, 31, com saída de Torres por volta das 6h da manhã, até o momento com cerca de 1700 veículos participantes do Litoral Norte, com deslocamento até o Palácio Piratini e Assembleia Legislativa em Porto Alegre.

Central de Jornalismo – Rádio Maristela