Moradores da Rua Hermenegildo Prudêncio, no bairro Igra Norte em Torres, próximo ao Rio Mampituba, têm enfrentado esgoto a céu aberto nesses dias de muita chuva. A moradora do nº 477, Valdirene dos Santos Réus, procurou a Rádio Maristela com um desabafo gravado também vídeo (ao lado).

Valdirene explicou que com o acumulado das chuvas que caíram nas últimas semanas, tem convivido com a dificuldade de dar descarga em seu sanitário e com o mau cheiro do esgoto contaminado por fezes que transborda da rede coletora da Corsan, acumulando na entrada da sua casa e dos vizinhos, escorrendo pela rua até o rio Mampituba.

Em entrevista para a Unidade Móvel da Rádio Maristela, na manhã de quinta-feira, 10 de setembro, Valdirene narrou os dias difíceis que tem passado, e para quantos órgãos já encaminhou um pedido de solução para o problema.

Também participou da entrevista, a convite da Rádio Maristela, o atual gestor da Corsan Torres, Tiago Borges Silva, que reconheceu a dificuldade enfrentada no bairro Igra. De acordo com o gestor, o grande acumulado de chuvas influencia toda a rede da Corsan na cidade, pois aumenta muito o volume na rede, ocasionando alguns extravasamentos.

Como medida emergencial, a Corsan Torres tem utilizado um caminhão hidrojato, que possui funções de desobstrução de rede de esgoto e realiza limpeza por sucção das áreas alagadas contaminados pelo esgoto, buscando minimizar o problema.

O gestor foi questionado durante a entrevista sobre quais os motivos que levam a rede da Corsan não funcionar efetivamente no bairro Igra em períodos de chuvas e Tiago explica que esse bairro, especificamente, sofre com alguns problemas decorrentes de obras executadas por empresas que faliram e, por consequência, não finalizaram o projeto contratado.

Segundo Tiago, três empresas já atuaram na construção da rede na região do Igra e não finalizaram a obra e, recentemente à frente da Corsan Torres, afirma trabalhar para resolver a situação da região, ainda que enfrente dificuldades, pois depende de suporte da Corsan regional.

Confira imagens cedidas pela moradora e arquivo da Unidade Móvel da Rádio Maristela: