Senta no banco dos réus nesta quinta-feira, 25 de fevereiro, em Santa Rosa do Sul, Jeferson Quadros Peres, autor confesso do homicídio da adolescente Brenda Rocha Carvalho de 14 anos, brutalmente assassinada com 60 facadas no início da noite do dia 13 de setembro de 2019, na localidade de Furacão, em Passo de Torres. O júri popular que terá início às 09 horas, será realizado na Câmara Municipal de Vereadores da cidade.

Jeferson que está preso desde o dia 17 de setembro daquele ano, após uma força tarefa das Polícias Civil do Vale do Araranguá é acusado por homicídio quadruplamente qualificado – “motivo torpe”, “meio cruel”, “traição/ recurso que impossibilitou ou tornou difícil a defesa da vítima” e “feminicídio”. Ele foi preso em Torres/RS e levou os policiais civis até o local onde estava a faca usada por ele para assassinar Brenda, a qual foi apreendida.

Foto: Arquivo pessoal

Entenda do caso

Na época do crime, em depoimento, Jeferson contou com detalhes ao delegado Lucas Fernandes da Rosa, coordenador da DIC (na época), como abordou Brenda, como a matou e o que fez após o crime. Ele afirmou que foi tomado pelo ódio, já que mãe da adolescente, que não queria ter/manter um relacionamento sério com ele, se relacionava com outras pessoas.

Segundo o delegado Lucas Fernandes da Rosa no inquérito policial, “Jeferson disse que ia com frequência para Maracajá e que as vezes dormia na casa da mãe da adolescente. Na sexta-feira dia 13 de setembro chegou na cidade e por acaso, encontrou Brenda, oferecendo uma carona, com objetivo de extrair informações sobre outros relacionamentos da mãe dela. No trajeto Maracajá/Passo de Torres, a jovem disse que a mãe colocaria um fim no relacionamento após sua festa de 15 anos, em fevereiro do ano seguinte. Segundo ele, revoltado por ajudar nas despesas da festa, como aluguel do salão, entre outros, se sentindo usado, acabou transferindo para Brenda, a fúria.”.

O autor ainda contou que, ao ver a oportunidade de matar a adolescente, no momento em que ela pediu para urinar, pegou a faca (que foi apreendida) e iniciou as agressões no pescoço. Depois a jogou para trás, continuando com os golpes, cessando as facadas quando ela parou de gritar e se mexer. O processo, na Comarca de Santa Rosa do Sul, tramita em segredo de justiça.

Após o crime, assassino agiu normalmente

Brenda foi assassinada no final da tarde, início da noite do dia 13, em meio a uma plantação de eucalipto, no interior de Passo de Torres. Jeferson, depois de matar a adolescente foi pra casa – em Três Cachoeiras -, tomou banho, vestiu sua roupa de corrida, pegou seu fone de ouvido e foi correr. Depois, saiu para beber com amigos.

Jeferson acreditou sair impune

Como ninguém sabia que Jeferson era o autor do crime, agiu normalmente e procurou pela mãe de Brenda no sábado pela manhã, em Maracajá. Jeferson foi com a mãe da adolescente na Central de Plantão Policial de Araranguá, na manhã de sábado, dia 14, para registrar o boletim de ocorrência de desaparecimento. Chegou ainda a frequentar o velório e oferecer “ombro amigo” naquela hora tão difícil, acreditando na impunidade.

Segundo as investigações, a adolescente desapareceu por volta das 18 horas de sexta-feira (13/09/2019), próximo ao ginásio de esportes, quando retornava a pé para casa, em Maracajá.

Brenda teria saído para fazer as unhas, quando desapareceu. Seu corpo foi encontrado, por volta das 08 do sábado dia 14, próximo a uma plantação de eucaliptos em Passo de Torres, cidade distante cerca de 70 quilômetros de onde a jovem residia.

Fonte: Portal Agora Sul