O núcleo regional da Rede Ecovida de Agroecologia aprovou a certificação de conformidade orgânica de novas famílias e também de novas áreas na noite de segunda-feira, 1 de março, na primeira assembleia de 2021. O encontro reuniu 42 grupos de agricultura ecológica da região no canal do You Tube do Centro Ecológico.

Após as boas vindas do agrônomo Laércio Meirelles – recém recuperado da covid – , os visitadores apresentaram a avaliação de propriedades rurais e áreas ligadas aos grupos São Brás, Apemsul 2, Vida e Saúde, Ecotorres do José, EMDS , Geard, Gesa, Rio Bonito , Terra Nova e Três Irmãos.

O coordenador da Comissão de Ética do núcleo, Natan Fernandes, explicou que, no contexto da pandemia, as visitas foram um desafio. “A coordenação gastou tempo pensando na logística de quem visita quem”, até chegarem ao formato de apenas dois visitadores de fora, mais um representante da Comissão de Ética do grupo, o coordenador do grupo e a família agricultora que requereu o certificado. Depois se reuniam, quase sempre on line, para discutir as observações. Antes da covid-19, diversos membros do núcleo participavam das visitas de verificação da conformidade orgânica.

Renovação de certificados

A coordenação também explicou como vai funcionar, até que sejam retomadas as atividades normais, a renovação por auto-avaliação para quem já tem certificado. Para a inclusão de novas famílias que cumpriram o período de transição do convencional para agroecológico, os grupos precisam agendar uma visita de membros da Comissão de Ética, respeitando os protocolos. Os grupos Encosta da serra, Costa Verde, Grupo dos Alves e Vida Nova já solicitaram visitas para os próximos meses.

Critérios avaliados nas visitas

A metodologia da Rede Ecovida prevê que os e as visitadoras observem a limpeza, organização, condição das barreiras – de mata nativa ou de outras plantas-, se fez o curso de princípios básicos da agricultura ecológica, documentos como caderno de campo e plano de manejo, entre outros critérios.

Rede Ecovida criou metodologia reconhecida pelo Mapa

Primeira organização nacional a desenvolver uma metodologia de certificação participativa de produtos orgânicos reconhecida pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a Rede Ecovida de Agroecologia é formada por aproximadamente 4,5 mil famílias agricultoras, ONGs de assessoria técnica e outras instituições nos três do Sul do Brasil. No Litoral Norte do RS, além dos grupos de agricultura ecológica, três agroindústrias, duas cooperativas de consumidores, duas feiras semanais e duas ONGs integram o Núcleo Litoral Solidário.

>> O manual de procedimentos, normas técnicas, plano de manejo e outros documentos para a certificação participativa da Rede Ecovida estão, em: CERTIFICAÇÃO PARTICIPATIVA.

Fonte: Centro Ecológico