As Olimpíadas de Tóquio estão acontecendo e em meio às competições, medalhas e muita emoção, surgem histórias e personagens que inspiram e mesmo longe de casa valorizam suas raízes e tradições. Um exemplo é o gaúcho Maurício Klein, 48 anos, Chefe de Cozinha da Seleção Brasileira de Futebol Feminino. O chefe é natural de Porto Alegre, mas possui residência e família no município de Terra de Areia, no Litoral Norte.

Maurício está cuidando da alimentação das jogadoras brasileiras durante as Olimpíadas de Tóquio, auxiliado por uma equipe de profissionais de várias partes do mundo. O trabalho do chefe envolve desde a preparação das refeições até a escolha do cardápio, conforme orientações da nutricionista da CBF – Confederação Brasileira de Futebol.

Para estar nas Olimpíadas, Maurício e toda a equipe fizeram uma preparação de 20 dias nos EUA, para adaptação ao fuso horário, visto que em Tóquio são 12 horas de diferença em relação ao Brasil. “Estou há dois meses me preparando e sem ver minha família, mas para matar um pouquinho da saudade da minha esposa e filha nos falamos todos os dias por telefone, e assim elas conseguem acompanhar minha rotina aqui nas Olimpíadas”, revela o chefe.

Além do chefe há muitos gaúchos na equipe da CBF. Segundo Maurício, o time dos gaúchos é forte e o bom e velho chimarrão é sagrado no período da manhã.

Outro detalhe relatado pelo chefe à reportagem da Rádio Maristela é sobre o controle rigoroso e a testagem diária contra a Covid-19 realizada nas atletas e em toda a equipe, pois em Tóquio ainda existe um grande número de pessoas que não fizeram a vacina e os casos voltaram a subir. “Nosso cuidado é diário, usando máscara e seguindo os protocolos de prevenção à Covid, mas sempre com muita energia, alegria e gratidão por estar em mais uma competição de alto nível, como as Olimpíadas”, conta.

Divulgação/CBF

Formação Profissional

Maurício é formado em Gastronomia pelo Curso de Gastronomia do Senac/RS. Atua como chefe de cozinha há 26 anos e carrega no currículo várias experiências profissionais marcantes, sendo as principais no universo do esporte.

A relação com a CBF é anterior às Olimpíadas de Tóquio, iniciada em 2011 com a Seleção Masculina, na Copa do Mundo FIFA Sub-17, no México. Nestes 11 anos de trabalho com a confederação, o chefe já atuou em diversas competições esportivas, dentre elas a Libertadores da América 2018, como chefe de cozinha responsável pela alimentação dos jogadores e comissão técnica do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense.

Arquivo Pessoal

Família e residência em Terra de Areia

O chefe é natural de Porto Alegre, mas se divide entre a capital e o Litoral Norte. A família da esposa é natural de Terra de Areia e há alguns anos Maurício possui residência no município. Junto com a mulher Jhulian Cristina Santos, de 32 anos, e a filha Amanda Prestes Klein, de 4 anos, ele escolheu Terra de Areia para descansar quando não está cumprindo compromissos profissionais.

“Tenho muito carinho pela cidade de Terra de Areia, pois a minha esposa e a família dela são naturais de lá. Assim que comprei minha residência fiz muitos amigos e me sinto realmente em casa quando estou por lá”, conta Maurício.

A esposa Jhulian diz que ficar longe do marido é muito difícil, mas que faz parte da carreira dele. “Sentimos muita falta e nos falamos sempre que possível por videochamada. Voltei a morar em Terra de Areia justamente por causa das viagens do Maurício, pois quando ele está fora, eu e a Amanda ficamos com a minha família”.

O sogro de Maurício, Julio Prestes, é só felicidade e revela estar orgulhoso pelo desempenho e trabalho do genro. *Julio foi quem contribuiu para a reportagem, colocando a jornalista em contato direto com o chefe Maurício*.

Arquivo Pessoal

Expectativa

O próximo jogo da Seleção Feminina é pelas quartas de final contra o Canadá, na sexta-feira (30/07), às 5h (horário de Brasília), em Miyagi, no Japão. Se as meninas avançarem seguem para a semifinal e a expectativa pela medalha de ouro é grande, conforme Maurício.

Depois das Olimpíadas, o chefe retorna para Terra de Areia para rever a família e descansar um pouco, pois em setembro já está escalado para comandar a cozinha e a alimentação dos atletas em uma nova competição esportiva. “Não vejo a hora de ganhar esse ouro com as meninas da Seleção e voltar para o Brasil, para a querida cidade de Terra de Areia, para comemorar junto com a minha família”, finaliza Maurício.

Divulgação/CBF

A entrevista foi realizada por videochamada na noite de quarta-feira (28/07) com a autorização da assessoria de imprensa da CBF.