Neste mês, a Patrulha Maria da Penha do 2º Batalhão de Policiamento em Áreas Turísticas (2º BPAT) completa dois anos de atividades. O serviço atua na segurança de mulheres vítimas de violência doméstica e familiar. Durante o período, mais de 550 mulheres foram incluídas no sistema de atendimento da Patrulha e pouco mais de 1.900 visitas foram realizadas.

Os municípios abrangidos pelo 2º BPAT, que contam com as Patrulhas Maria da Penha são: Capão da Canoa, Xangri-Lá, Torres, Arroio do Sal, Tramandaí e Imbé.

De acordo com a Brigada Militar, para trabalhar na Patrulha Maria da Penha o policial militar precisa passar por qualificação especializada no contexto da violência doméstica e familiar. Atualmente, o 2º BPAT conta com 20 militares do seu efetivo habilitados para as Patrulhas Maria da Penha e, a partir da próxima semana, terá mais 13 PMs instruídos para esta modalidade de policiamento, pois estão em curso de capacitação, que está sendo promovido pelo CRPO Litoral desde a última terça (24/08) e vai até sexta-feira (27/08), em Osório.

LEI MARIA DA PENHA

A lei conhecida por Maria da Penha (Nº 11.340) foi sancionada há 15 anos, em 07 de agosto de 2006, criando instrumentos de proteção para mulheres vítimas de violência doméstica. No ano de 2012, a Brigada Militar foi a instituição pioneira no Brasil a criar as Patrulhas Maria da Penha, que acabaram servindo de modelo para vários estados e capitais brasileiras.

AGOSTO LILÁS

O mês de agosto representa a conscientização e combate à violência contra a mulher. A Campanha Agosto Lilás foi criada como parte da luta fortalecida pela Lei Maria da Penha, sancionada em 7 de agosto de 2006, para combater e inibir os casos de violência doméstica no Brasil.

Telefones para denúncia de violência contra a mulher: 190 ou 0800 541 0803.

Com informações da Comunicação Social do 2º BPAT, Soldado Eline.

Foto de capa: Divulgação/Brigada Militar