A Associação Lar dos Velhinhos de Torres, a ASLAVE, a principal Instituição de Longa Permanência de Idosos (ILPI) do município, pode ter suas atividades encerradas.

O Ministério Público (MPRS) oficiou a Prefeitura de Torres de que diante do desinteresse da administração atual da Instituição em continuar à frente da entidade, e vencido o prazo da gestão, a Prefeitura deveria optar por, ou assumir a gestão da ILPI, ou montar um plano estratégico com a Instituição, para a remoção dos idosos que lá se encontram abrigados, já que alguns, a princípio, devem estar no local por força de decisão judicial de abrigamento contra o Município.

Durante entrevista ao programa Revista Maristela, no dia 8 de setembro, o Prefeito de Torres, Carlos Souza, declarou que a ASLAVE é uma entidade privada, uma associação que nasceu com objetivo de cuidar das pessoas idosas, mas não é pública, portanto o município não tem interesse de assumi-la.

“É uma entidade privada, não é pública, e não há como o município intervir. Torres teria que, automaticamente, abrir uma casa pública, e absorver esses idosos, com outros critérios, nos quais talvez a maioria dos que estão lá, não se enquadraria, e não poderiam estar nesse abrigo público” apontou o Prefeito.


Confira a entrevista completa com o Prefeito Carlos Souza:


Se alterada para uma instituição pública, o critério de acolhimento teria que ser alterado, pois hoje os idosos que estão na ASLAVE contribuem financeiramente para estarem no local. No caso de transformar o local de privado para público, haveria a necessidade da criação de uma política pública de acolhimento de idosos em vulnerabilidade social.

Idosos que residem no local:

Atualmente o Lar acolhe 16 idosos. Destes, um idoso se encontra internado por imposições judiciais, o qual o município mantém o custeio. Os demais contribuem financeiramente com a entidade, através de recursos próprios ou de parentes ou responsáveis.

No caso de extinção da Instituição de Longa Permanência, a Prefeitura alega que seguiria subsidiado este idoso, mas que os demais teriam de ser realocados por seus responsáveis, para alguma das outras oito instituições privadas e licenciadas em Torres, ou para instituições de outros municípios, de acordo com sua preferência.

Já existem idosos que estão em casas de acolhimento privadas, que o município subsidia, por conta de decisões judiciais, através de laudo preliminar de vulnerabilidade social.


Dívidas Judiciais:

Hoje, a Instituição possui dívidas trabalhistas e previdenciárias, e não está habilitada para receber recursos públicos.

Segundo funcionários que trabalham no local, no caso de fechamento do Lar, onze funcionários perderão seus empregos.

O ex diretor da ASLAVE, Márcio Alexandre da Silva, se manifestou através de nota, se colocando à disposição para estabilizar a situação do local, impedindo o fechamento.

O atual diretor da Instituição, Juarez Martins, declarou à central de jornalismo da Rádio Maristela, que neste momento está em tratativas juntamente ao Ministério Público, para evitar o fechamento do local, através de prorrogação do mandado da diretoria, para que durante o período, se busque uma forma equacionar a crise.