O Estado do Rio Grande do Sul será representado pelo governador Eduardo Leite na 26ª edição da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP26), de 1º a 05 de novembro, em Glasgow, na Escócia. No evento, o governador vai assumir compromissos com a redução do carbono em nome do RS.

“Assumiremos o compromisso de trabalhar para neutralizar as emissões de carbono do nosso Estado em 50% até 2030 e agir para neutralizar as nossas emissões até 2050. Esses compromissos estão em sintonia com o que o Brasil assumiu no âmbito do Acordo de Paris e tem como objetivo mobilizar entes nacionais e subnacionais, empresas e instituições, no sentido de minimizar os efeitos das emissões sobre o clima global”, afirma o governador em vídeo divulgado nas redes sociais.

Nesta edição da COP, líderes mundiais estarão reunidos para avaliar o que foi feito desde o Acordo de Paris, marco nas negociações sobre o clima e assinado por quase 200 países na COP21, em 2015. Naquele ano, concordaram em tentar limitar o aquecimento da Terra em 1,5°C, para evitar uma catástrofe climática.

Foto: Divulgação/COP26

Em uma carta-compromisso com a agenda mundial para a descarbonização, Leite se compromete em estruturar políticas públicas que visam à promoção da agenda climática integrada com o desenvolvimento sustentável, à proteção ao meio ambiente e à promoção do bem-estar e da saúde da população. O que inclui a implementação da Política Estadual sobre Mudanças do Clima, intensificando as ações para conservar os recursos naturais, incentivar as boas práticas ambientais, incentivar a geração e o uso de fontes de energia renováveis, e fomentar soluções e sistemas baseados em uma economia de baixo carbono.

“O Rio Grande do Sul não é uma ilha. Nós temos o dever de formular políticas e agir para conter os efeitos adversos das mudanças climáticas que geram prejuízos enormes à vida e a toda atividade humana. Temos o dever de propor e executar uma agenda clara, que integre desenvolvimento sustentável, proteção ao meio ambiente, bem-estar e saúde da população. Em Glasgow, o mundo vai estar frente a frente numa conversa franca a respeito do destino do nosso planeta, das nossas populações. Estaremos lá para dizer que o Rio Grande do Sul quer se comprometer com ações que assegurem um destino ambientalmente sustentável”, acrescenta o governador.

De acordo com o governo do Estado, para o atingimento dos compromissos climáticos assumidos, será preciso elaborar trajetórias de neutralização do carbono (descarbonização) em um prazo de 12 meses.

Com informações da Ascom/RS, Vanessa Kannenberg