A RS-389, mais conhecida como Estrada do Mar é uma rodovia muito requisitada durante os primeiros meses do ano, em grande parte por quem veraneia no Litoral Norte gaúcho. A estrada é administrada pelo Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) e tem cerca de 90 quilômetros de extensão, que ligam Torres a Osório.

O intenso movimento nesta época reforça a necessidade da conscientização de motoristas que acessam a estrada. Em entrevista ao programa Revista Maristela, comandantes do pelotão e grupo rodoviário que atendem a rodovia alertaram para os cuidados no trecho.

A comandante do Grupo Rodoviário de Torres, sargento Kurtz destacou a alta de atendimentos de casos de veículos que saem da pista entre Arroio do Sal e Torres: “Nossa rodovia é atípica, ela não tem acostamento, e a sinalização acaba sendo precária na questão de demarcação de acessos viários, oque acaba ocasionando muita saída de pista. Nosso Grupo atende muitos casos assim, as pessoas nos informam que estavam mexendo no celular, atendendo ligação ou mexendo no Whatsapp quando isso acontece. Reforçamos que trânsito e direção não combinam” explicou a sargento.

Entre as principais recomendações estão o uso dos faróis acesos de veículos que acessam a rodovia, como previsto na Lei 13.290, sancionada em 2016 que passou a obrigar o uso do farol aceso em rodovias brasileiras também durante o dia. Segundo a sargento, essa prática é essencial para prevenir acidentes durante ultrapassagens de pouca visibilidade em curvas acentuadas, muito comuns na Estrada do Mar.

Também foram destacadas a importância do uso de cinto de segurança para evitar a gravidade e fatalidade em eventuais acidentes; a obrigatoriedade de não dirigir sob efeito de álcool; a recomendação de não exceder o excesso de velocidade e a necessidade do uso de dispositivos de retenção veicular infantil.

O comandante do pelotão rodoviário que abrange o trecho de Xangri-lá a Torres, tenente Sebastiany, ressaltou que tanto na Estrada do Mar quanto em qualquer local, para garantir a segurança do transporte das crianças em carros, é indispensável o uso de bebê conforto, cadeirinha ou assento de elevação em crianças.

Confira qual a cadeirinha certa para cada criança:

Crianças de zero a um ano de idade – Bebê conforto

Crianças de um aos quatro anos de idade – Cadeirinha

Crianças de quatro até sete anos e meio de idade – Assento de elevação (ou booster)

Polícia Rodoviária estadual está à disposição para esclarecer dúvidas referente aos cuidados na rodovia através do telefone 198.

Veja a entrevista completa no programa Revista Maristela: