O delegado Fábio Motta Lopes assumiu, na tarde desta segunda-feira (18/4), como o novo chefe da Polícia Civil gaúcha. A cerimônia ocorreu no auditório do Palácio da Polícia, em Porto Alegre, e contou com a presença do governador Ranolfo Vieira Júnior e do secretário da Segurança Pública, Vanius Cesar Santarosa.

A delegada Nadine Anflor, que assumiu a chefia de Polícia em 8 de janeiro de 2019, transmitiu o cargo para o novo titular, que até então ocupava o cargo de subchefe de Polícia. Já o delegado Vladimir Urach, anteriormente diretor do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc), assume a subchefia de Polícia.

O governador Ranolfo, também delegado da Polícia Civil e ex-secretário da Segurança Pública, relembrou parte da sua trajetória na instituição e os desafios da chefia de polícia, cargo que também ocupou, e desejou sucesso ao novo chefe.

“Desejo todo o êxito para o delegado Fábio. Tenho certeza de que pelo currículo, trajetória e qualidade do delegado, a Polícia Civil vai seguir em excelentes mãos. Deixo também o meu agradecimento e reconhecimento pela dedicação e pelo trabalho feito pela delegada Nadine durante o tempo em que esteve à frente da Polícia Civil”, disse Ranolfo.

De acordo com o novo chefe de Polícia, sua atuação será focada na repressão às estruturas do crime, principalmente no combate à lavagem de dinheiro, para descapitalizar as organizações criminosas, conforme as diretrizes do programa RS Seguro.

“Na mesma medida, vamos trabalhar para melhorar cada vez mais o atendimento ao cidadão, que é essencial para mantermos a relação de confiança com a sociedade”, destacou. O delegado disse ainda que é “perceptível a constante evolução da polícia civil gaúcha, sempre buscando a utilização das melhores tecnologias e técnicas de investigação criminal, assim como o aprimoramento das ações policiais”.

A delegada Nadine Anflor, primeira mulher a se tornar chefe de Polícia Civil gaúcha nos mais de 180 anos da instituição, disse que deixa o cargo com a sensação de dever cumprido. Ela destacou os muitos avanços alcançados, como a formação e o ingresso de mais de 900 agentes e mais de 80 delegados, inauguração e reforma de diversas delegacias, criação de departamentos, redução de indicadores de criminalidade e criação de políticas de proteção aos grupos vulneráveis.  “Agradeço por tudo isso a cada policial civil, pelo comprometimento com todos esses projetos e pela confiança em mim depositada. Foi uma grande honra ter sido a representante da Polícia Civil gaúcha”, afirmou.

O secretário da Segurança Pública, Vanius Cesar Santarosa, destacou a importância da Polícia Civil dentro do processo de redução dos indicadores de criminalidade. “Faz três anos, estamos observando indicadores de criminalidade cada vez mais reduzidos, o que é creditado às ações do programa estruturante RS Seguro. O programa integra todas as vinculadas envolvidas na segurança pública do Estado, e o sucesso que vemos hoje vem dos esforços dos operadores de segurança dessas instituições”, disse.

PERFIS

Delegado Fábio Motta Lopes

Fábio Motta Lopes, 46 anos, é delegado da mais alta classe da Polícia Civil (4ª classe), tem 23 anos de experiência na instituição. Iniciou a carreira como titular da 2ª Delegacia de Polícia de Uruguaiana (1999-2000).

Em Porto Alegre, trabalhou nos seguintes órgãos policiais: Área Judiciária (hoje 2ª DPPA), como plantonista; 3ª DP (2000); 16ª DP (2001-2002) e 20ª DP (2005-2006). No Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), foi titular da Delegacia de Polícia de Furto e Roubo de Veículos (2002-2003) e da Delegacia de Capturas (2003-2004). Foi titular também da 1ª Delegacia de Polícia de Viamão (2004-2005).

Atuou ainda como diretor da Divisão de Planejamento e Coordenação (2007); secretário executivo do Fundo Especial de Segurança Pública (2008- 2010), na SSP; diretor da Divisão de Ensino da Academia de Polícia Civil (2011-2013); diretor do extinto Departamento de Gestão do Conhecimento para a Prevenção e a Repressão à Corrupção (Degecor) da SSP (2015); chefe do Serviço de Assessoramento Especial da Corregedoria-Geral de Polícia (2015-2016); chefe de gabinete da Polícia Civil (2016-2017); membro do Conselho Superior de Polícia (2017-2018); diretor do Departamento de Polícia Metropolitana (2017-2018) e Subchefe de Polícia (2019-2022).

É mestre em Direitos Fundamentais pela Universidade Luterana do Brasil (Ulbra – 2007); especialista em Direito Penal e Processo Penal pela Ulbra (2005); professor de Direito Penal e Direito Processual Penal na Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), desde 2007, e professor da Academia de Polícia Civil do Rio Grande do Sul, desde 2000.

Delegado Vladimir Urach

Vladimir Peukert Urach, 50 anos, é delegado da mais alta classe da Polícia Civil (4ª classe), tem 29 anos de experiência. Graduado em Direito pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e pós-graduado em Direito Penal e Processual Penal pela Ulbra, em Santa Maria.

Ingressou na Polícia Civil em 1993, ainda como agente de polícia. Como delegado, iniciou a carreira em 1999, passando por lotações em delegacias de polícia das regiões de Lajeado, Porto Alegre e Santa Maria. Em 2013, assumiu a 29ª Delegacia de Polícia Regional do Interior (29ª DPRI), com sede em Camaquã e, desde 2019, atua como diretor do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc).

Foto: Gustavo Mansur / Palácio Piratini

Fonte: Governo do Estado do Rio Grande do Sul