Nesta terça-feira (14/06), Dia Mundial do Doador de Sangue, ocorreu a solenidade de abertura da Unidade de Coleta de Sangue e Transfusão do Hospital Tramandaí (HT) para toda a região do Litoral Norte. A partir de agora a unidade, que realizava coletas apenas para pacientes do HT, passa a ter uma atuação regional. Neste dia especial para quem doa sangue, o ato teve um depoimento de incentivo às doações da doadora de sangue, há 15 anos, Camila Peters.

O também doador de sangue, há 6 anos, o aposentado Nestor Buhl, aproveitou para fazer a sua doação. “Existem pessoas doentes ou que por ventura sofreram algum acidente e precisam de transfusão. Por isso, no dia a dia do hospital sempre é necessário sangue. É com esse objetivo que tem que doar”, argumentou Buhl.

O diretor-geral da Fundação Hospitalar Getúlio Vargas (FHGV), que é responsável pela administração do HT, Tércio Erany Tedesco Júnior, observou ser “imprescindível a descentralização da coleta de sangue, o que facilita a logística tanto para doadores quanto para receptores”, enfatizou.

Municípios

No evento, o prefeito de Tramandaí, Luís Carlos Gauto, ressaltou o investimento feito pelo Governo do Estado e a importância do ato da doação de sangue. “Primeiramente quero agradecer ao governo do Estado por proporcionar mais um recurso destinado ao atendimento da nossa região e também falar sobre a importância que o sangue tem para a vida em um momento crucial em que os pacientes dependem de transfusão e os familiares ficam nessa grande expectativa”, comentou.

Para o secretário de Saúde de Arroio do Sal e representante regional do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do RS (COSEMS/RS), Diego Feldmann de Vargas, ter uma Unidade de Coleta e Transfusão mais próxima facilitará a rotina dos doadores de seu município e a logística empregada para que as doações ocorram. “Em Arroio do Sal disponibilizamos uma van, uma vez por mês ou a cada três meses, para levar 15 pessoas a Porto Alegre para doar. Assim, elas têm que se disporem a passar a tarde na capital. Por isso, trazê-las para cá torna mais simples”, relatou Feldmann.

Estado

De acordo com a Secretária de Saúde do Rio Grande do Sul (RS), Arita Bergmann, a ampliação do público na unidade resulta também no aumento das bolsas de sangue coletadas. “Nós vamos saltar para a quantidade de 600 bolsas coletadas por mês. Queremos crescer e cresceremos”, informa. Arita menciona que a data escolhida para a solenidade não foi por acaso e afirma que a mudança é motivo de reconhecimento. “Hoje é o Dia Mundial do Doador de Sangue e escolhemos esse dia porque precisamos ampliar, e muito, a captação de doadores. Que orgulho temos dessa unidade de coleta, vamos levar essa experiência como uma nova façanha para todo o Estado do Rio Grande do Sul”, comemorou.

Segundo a diretora do Departamento Estadual de Sangue Hemoderivado e do Hemocentro do Estado do RS, Katia Brodt, o aumento da atuação da Unidade de Coleta de Sangue e Transfusão do HT é essencial para que haja mais doadores. “A partir de hoje, ela começa a ter uma atuação regional, recebendo doadores de todos os municípios do Litoral Norte. O impacto e a participação que esse serviço vai ter na organização da transfusão de sangue desta região será fundamental”, pontua. Além disso, Katia destaca que a disponibilidade de um local acessível para coleta faz diferença para os doadores. “O gaúcho sempre foi muito solidário e continua sendo. Mas nós podemos facilitar a vida deste doador, oportunizando locais mais próximos da sua moradia para que esta doação ocorra. A maior parte dos residentes daqui tinham que se dirigir a Porto Alegre para doar. Vindo aqui, a gente diminui a distância que o doador percorre e amplia o acesso”, explicou.

Fonte: Ascom HT