A Secretaria de Saúde de Torres, atendendo o Ministério da Saúde, irá realizar a partir de 10 de fevereiro, a intensificação da vacinação contra o sarampo para crianças e jovens dos cinco aos 19 anos. No Rio Grande do Sul, 82 casos de sarampo foram confirmados desde agosto de 2019, sendo que um em cada quatro casos registrados foi em pessoas nessa faixa etária.

De acordo com coordenador de imunizações, o enfermeiro da Vigilância Epidemiológica de Torres, Renan Emerim Monteiro, considerando que até janeiro de 2020 a circulação do vírus do sarampo permanece ativo no país e diante da necessidade de proteger a população contra a doença, neste ano o Ministério da Saúde juntamente aos estados e municípios irá realizar a vacinação.

A vacinação ocorrerá em duas etapas, sendo que a primeira etapa inicia em 10 de fevereiro até o dia 13 de março 2020, com o Dia D de vacinação, 15 de fevereiro, sábado.

“A estratégia é destinada a quem não tomou nenhuma dose da vacina ou tenha recebido apenas uma, com esquema incompleto. Portanto, todos os indivíduos dessa faixa etária devem comparecer à sala de vacina do município, ou à unidade de saúde mais próxima nos bairros (ESF’s), portando a carteira de vacinação, que contém o histórico vacinal, para que a equipe de saúde possa analisar e colocar em dia o esquema de vacinação, fazendo as que estão em atraso”, explica Renan.

Dia D

Para as famílias com as crianças e jovens, conseguirem comparecer para a vacinação fora do horário habitual da rede de atendimento em saúde, um dia especial com horário ampliado será realizado, o chamado Dia D, no dia 15 de fevereiro, sábado, quando a sala de vacina ao lado do Pronto Atendimento, no Centro de Torres, assim como todas as unidades de saúde (ESF’s) nos bairros de Torres estarão atendendo das 8h às 17h, sem fechar ao meio dia.

A estimativa do Ministério da Saúde é que 245 mil crianças e jovens dessa idade não estejam protegidos contra a doença.

Porque realizar a vacina contra o sarampo?

Sarampo é uma doença viral altamente transmissível, por meio de tosse, fala, espirro ou respiração. Qualquer indivíduo que apresentar febre e manchas no corpo (exantemas) acompanhado de tosse, coriza ou conjuntivite deve procurar os serviços de saúde para a investigação, principalmente aqueles que estiveram nos 30 dias anteriores em viagem a locais com circulação do vírus. Casos suspeitos devem ser informados imediatamente às secretarias municipais de saúde ou ao Disque Vigilância, por meio do número 150.

A vacina contra o sarampo é importante para evitar complicações como cegueira e infecções generalizadas que podem levar a óbito.

Esquema Vacinal

O calendário básico de vacinação oferece duas vacinas contra o sarampo. A primeira é aos 12 meses de idade, com a tríplice viral, que protege também contra a rubéola e a caxumba. A proteção precisa ser completada aos 15 meses com uma dose da tetraviral, que imuniza para as mesmas três doenças mais a varicela (ou catapora). Além dessas duas doses, em virtude do surto da doença no Brasil, o Ministério da Saúde recomenda uma dose extra para as crianças entre os seis meses e 12 meses, a qual não substitui a primeira dose (aos 12 meses). 

Nova etapa em agosto 

Para o segundo semestre do ano, uma nova etapa já está prevista pelo Ministério da Saúde, para a faixa etária dos 30 aos 59 anos. Nesta fase da campanha – programada para ocorrer em agosto – será ampliada a idade de 49 anos para 59 anos. Considera-se vacinada a pessoa que comprovar duas doses da vacina até os 29 anos ou uma dose se a pessoa tem mais de 30 anos.

Central de Jornalismo – Rádio Maristela, com informações do Ministério da Saúde

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui