No Litoral Norte, foram realizadas 27 visitas a vítimas de violência doméstica, que contam com medida protetiva de urgência, durante a Operação Marias desencadeada pela Brigada Militar ontem segunda-feira, 31 de agosto, em todo o Estado.

As Patrulhas Maria da Penha do 8º BPM e do 2º BPAT foram até as casas das mulheres que sofreram agressões de seus companheiros, conseguiram romper o silencioso sofrimento e os denunciaram, recebendo o instrumento legal da medida protetiva.

Em Osório, foram feitas seis visitas, em Capão da Canoa cinco mulheres receberam a Patrulha Maria da Penha e em Tramandaí outras cinco vítimas conversaram com os policiais militares. Já em Torres e em Arroio do Sal, quatro mulheres foram visitadas pela Patrulha em cada cidade, em Imbé foram duas e em Xangri-lá uma vítima. Apenas a Patrulha Maria da Penha de Osório registrou uma comunicação de ocorrência por descumprimento da medida protetiva pelo agressor, que esteve na residência da vítima no último sábado (29/8).

Durante a ação, também foram entregues às mulheres produtos de higiene pessoal e de limpeza doméstica doados na campanha Caixa Lilás, com pontos de arrecadação em quartéis da Brigada Militar. A Operação Marias encerrou o calendário das atividades que marcaram os 14 anos da Lei Nº 11.340, conhecida por Lei Maria da Penha, sancionada em 07 de agosto de 2006.

No próximo mês de outubro, vai completar oito anos a iniciativa pioneira no Brasil da criação de Patrulhas Maria da Penha pela Brigada Militar e que foi usada como modelo por polícias militares e guardas municipais em vários Estados do país.

Fonte: ASCOM CRPO LITORAL – jornalista Jussara Pelissoli – FOTOS: Soldados Alex/8º BPM e Eline/2ºBPAT