Apesar de estarmos presenciando um novo pico da pandemia de Covid-19 e as restrições a festas em várias cidades turísticas, muita gente vai viajar neste período de fim de ano e férias. A Mobilização Nacional dos Médicos e Psicólogos Especialistas em Trânsito afirma que o momento pede cuidado e atenção redobrados. “É preciso adotar todas as precauções para evitar acidentes. Assim, reduzimos a sobrecarga sobre o sistema de saúde, que já está à beira do colapso com o novo pico da pandemia”, alerta o coordenador Alysson Coimbra.

Antes de pegar a estrada, é imprescindível fazer uma revisão minuciosa no veículo para se certificar de que ele está em condições adequadas. Além de checar itens como água e óleo e calibrar os pneus, é preciso avaliar os itens de segurança obrigatórios, como triângulo, macaco e verificar se o estepe está calibrado. “Não viaje com pneus carecas, pois eles facilitam acidentes e aumentam a vulnerabilidade do veículo. É indispensável checar o funcionamento dos itens de sinalização, como faróis, lanternas, setas e luz de freio”, pontua o especialista.

Mas o mais importante é cuidar para que o motorista esteja em plenas condições de dirigir, uma vez que o fator humano é responsável pela maioria dos acidentes de trânsito no Brasil. “Para viagens longas, é preciso que o motorista tenha dormido o suficiente à noite e esteja descansado. Não indicamos que quem iniciou algum tratamento recentemente faça uso do medicamento e dirija, já que há remédios que podem interferir diretamente na capacidade de concentração e reação”, explica Coimbra.

O médico especialista em trânsito alerta que diabéticos devem sempre levar um alimento doce para evitar hipoglicemia, mesmo em viagens curtas. “Se houver uma interrupção no fluxo do trânsito, o motorista tem que estar preparado para evitar essas crises, que interferem na sua habilidade de dirigir com segurança”, afirma.

A esperada redução no movimento das estradas neste ano, em comparação com os anos anteriores, pode provocar um comportamento de risco: o aumento da velocidade. “Com as vias menos obstruídas, muitos motoristas dirigem em alta velocidade, o que aumenta os riscos de acidentes. É indispensável seguir o limite de velocidade estipulado pela via, não fazer ultrapassagens em locais proibidos, reduzir a velocidade em caso de chuva e obedecer às leis de trânsito. A segurança do trânsito depende de todos nós”, finaliza Coimbra.

Orientações epidemiológicas

Em tempos de pandemia, novos cuidados são necessários para evitar a contaminação pelo novo coronavírus durante a viagem de carro. O primeiro deles é não transportar pessoas que não morem na mesma casa. “O vírus pode se espalhar no ambiente fechado e as chances de contaminação são mais altas se o ar-condicionado for mantido ligado o tempo todo. O ideal é renovar o ar de tempos em tempos”, pontua o médico.

Evite paradas em pontos de grande concentração de pessoas. “Levar sua própria água e comida e parar o mínimo possível, sempre em locais onde não haja aglomeração”, orienta Coimbra. Outra dica é pagar as despesas, preferencialmente, com cartões de débito ou crédito. “Sempre que usar máquinas de pagamento, higienize as mãos e o cartão. Para o pagamento do pedágio, o recomendável é usar as tags que debitam o valor direto na conta e evitam o contato. Se não for possível, levar o dinheiro trocado e já deixar separado para ter o mínimo de contato no ato do pagamento”, finaliza o médico.

Fonte: Mobilização Nacional dos Médicos e Psicólogos Especialistas em Trânsito