O bispo da Diocese de Osório, dom Jaime Pedro Kohl, e presidente da Rádio Maristela 106.1FM, dedicou em seu artigo semanal uma mensagem pela passagem do ano, na qual o título faz um questionamento: “Olhar pelo para-brisa ou pelo retrovisor?”

De acordo com o Bispo, “estamos entrando em um novo ano. Mesmo sob a ameaça da segunda onda do coronavírus, os prognósticos parecem um pouco melhores. Sinais de retomada do crescimento econômico. O fato de as vacinas estarem chegando, mesmo demorando um bocado para imunizar todo mundo. Dom Jaime afirma que “ainda precisamos nos cuidar e cuidar dos outros com os hábitos que adquirimos, mas não podemos ficar presos no passado e nem jogar fora os aprendizados adquiridos.

Na mensagem simbólica, dom Jaime indica que todo bom motorista necessita olhar atentamente pelo para-brisa e pelo retrovisor. Pelo para-brisa a gente olha o CAMINHO que está na frente e nos conduz para o futuro, para o lugar que temos planejado ir. Pelo retrovisor, vejo o que já passei, o que ficou para trás, mas também vejo se devo abrir caminho para outros que percorrem a mesma estrada e por vezes desejam passar.

Confira a mensagem de dom Jaime Pedro Kohl na íntegra:

“Olhar pelo para-brisa ou pelo retrovisor?

Estamos entrando no novo ano. Mesmo sob a ameaça da segunda onda do coronavírus, os prognósticos parecem um pouco melhores. Sinais de retomada do crescimento econômico. O fato das vacinas estarem chegando, mesmo demorando um bocado para imunizar todo mundo. Ainda precisamos nos cuidar e cuidar dos outros com os hábitos que adquirimos, mas não podemos ficar presos no passado e nem jogar fora os aprendizados adquiridos.

Uma mensagem simbólica do bispo de Lages nos ilumina e ajuda a entender e viver esse momento: “Olhar pelo para-brisa e retrovisor”. Começa dizendo que todo bom motorista necessita olhar atentamente pelo para-brisa e pelo retrovisor. Os dois são muito importantes.

Pelo para-brisa a gente olha o CAMINHO que está na frente e nos conduz para o futuro, para o lugar que temos planejado ir. Por ele vemos as retas, as curvas, os perigos e as belíssimas paisagens. Também os temporais que se aproximam e nos ajuda a decidir se continuar ou se seja prudente parar um pouco.

Pelo retrovisor vejo o que já passei, o que ficou para trás, mas também vejo se devo abrir caminho para outros que percorrem a mesma estrada e por vezes desejam passar.

Todo mundo sabe que o para-brisa sempre é infinitamente maior que o retrovisor, mas porque será? É PORQUE O CAMINHO QUE VOCÊ TEM A FRENTE É MAIS IMPORTANTE QUE O QUE DEIXOU PARA TRÁS. Olhar pelo retrovisor é importante apenas como referência do que já passei, do que já vivi, mas não é para lá que eu vou, por isso o retrovisor é menor que o para-brisa.

Eu vou para onde olho pelo para-brisa, por isso esse olhar é sempre o mais importante. Quando se fica olhando mais pelo retrovisor e se esquece de olhar pelo para-brisa, os acidentes são certos e podem até ser fatais tanto para si mesmo quanto envolver outros inocentes.

O que vemos pelo retrovisor é passado, não pode ser mudado, porém o que vemos pelo para-brisa é futuro e está intacto. É certo que não estamos sozinhos na estrada e por isso outros podem nos atrapalhar ou auxiliar. Mas o que fazemos diante do que vemos na nossa frente, sempre depende mais de cada um, do que dos outros. Alguém já dizia que ‘a melhor forma de predizer meu futuro é criá-lo’.

Que essa simbologia possa nos ajudar a iniciar com esperança e confiança o novo ano com seus desafios e possibilidades. Deixemos para trás as coisas antigas que já se passaram e lancemo-nos para frente com esperança e confiança porque o Senhor está no meio de nós, caminha conosco e sustenta os nossos passos.

Para refletir: Analisando meu jeito de pensar, sou alguém que fica mais olhando para o retrovisor ou pelo para-brisa? Vivo de nostalgia do passado ou alimento a esperança de um futuro mais promissor? Quais são meus sonhos para 2021?

Textos bíblicos: Mm 6, 22-27; E 3, 2-6; Mct. 2, 1-12.”

Fonte: Diocese de Osório