Na tarde desta segunda-feira, 23 de agosto, a Polícia Militar e a OAB emitiram nota, referente ao falecimento do policial rodoviário aposentado, Fábio Zortea.

Fábio morreu na madrugada desta segunda-feira, 23 de agosto, ao ser baleado por policiais militares, após abordagem em frente à sua casa, próximo ao camelódromo de Torres. Seu filho também foi baleado, e encontra-se internado no Hospital Nossa Senhora dos Navegantes. Relembre o caso aqui.

Em nota, a Brigada Militar informou que os PMs envolvidos já foram afastados de suas atividades. O órgão ainda deu prazo máximo de 60 dias, para prestar mais informações e lamentou a morte do policial aposentado.


Confira a nota completa da Brigada Militar:

A Brigada Militar manifesta-se, por meio desta nota, sobre a ocorrência na madrugada da segunda-feira (23/8), no centro de Torres, na qual houve confronto entre dois policiais do 2º BPAT e três indivíduos.

Após abordagem ao veículo em que dois deles estavam, o pai de ambos saiu de dentro de um prédio e houve o confronto do qual restaram um dos homens lesionados, um PM ferido e o pai, o policial rodoviário federal aposentado Fábio Cezar Zortea, em óbito.

Em primeiro lugar, a Brigada Militar lamenta a morte do policial aposentado e reforça a integração que mantém com a Polícia Rodoviária Federal.

O Comando Regional de Policiamento Ostensivo do Litoral (CRPO Litoral) já instaurou Inquérito Policial Militar (IPM) para apurar os fatos e determinou como encarregado do IPM um oficial do Comando Regional, e não do 2º BPAT, a fim de manter total isenção e elucidar a ocorrência com a transparência necessária.

A Brigada Militar também informa que os policiais militares envolvidos na ocorrência já estão afastados de suas atividades e serão atendidos pelo serviço psicossocial prestado pelo Comando Regional, em Osório.

Tão logo o IPM seja concluído, no prazo máximo de 60 dias, a Brigada Militar prestará as devidas informações.



Já a OAB Subseção de Torres, informou através de nota que exigiu do comando da Brigada Militar imparcialidade, celeridade e rigidez na apuração dos fatos.


Confira a nota completa da OAB Subseção de Torres:

A OAB Subseção de Torres, fiel ao seu dever institucional, frente aos lamentáveis e trágicos fatos ocorridos nesta madrugada, se dirige a Sociedade Torrense para dizer que repudia veementemente qualquer forma de violência e, com intuito de informar, que foi recebida pelo comando da Brigada Militar, em reunião onde esteve também o Presidente do Consepro.

Na oportunidade exigimos do comando local da Brigada Militar, Capitão Selva, imparcialidade, celeridade e rigidez na apuração dos fatos.

Estamos vigilantes e seguiremos atentos aos inquéritos instaurados para que reproduzam fielmente o ocorrido.