Sopa de Pedra, primeiro trabalho ficcional do escritor Laércio Meirelles, responde à pergunta que muitas pessoas fazem diante de acontecimentos, num determinado espaço e tempo, especialmente em relação a outras pessoas: “Você nunca olhou para alguém sentado em um banco de praça e se perguntou: quem é, de onde vem, quais dores e a amores carrega?


Para Laércio, essa curiosidade foi a motivação inicial para a escrita das 20 histórias que se passam num mesmo dia e praça de uma pequena cidade, onde um viajante chega e tem a ideia de ali vivenciar a conhecida história da sopa de pedra.

“No primeiro capítulo, um mochileiro cinquentão, em uma espécie de momento sabático, expõe algo da sua vida. Ao lê-lo, ouviremos falar de outras pessoas como, por exemplo, da criança que senta ao seu lado para conversar, da mãe dessa criança, que vem buscá-la e da varredora de ruas que ele observa”.

Esses personagens irão protagonizar os contos seguintes em narrativas leves, que se propõem a entreter com diversão e conteúdo. Segundo o autor, os capítulos são independentes, mas guardam uma relação, maior ou menor, entre eles. Assim sendo, podemos dizer que é um livro de contos que guarda um toque de romance!”

A edição do livro foi parcialmente financiada de forma colaborativa. Cada cotista receberá exemplares de acordo com a contribuição. O lançamento será nesta quinta-feira, 25 de novembro, às 17h30 na cooperativa Ecotorres.

Com informações do Centro Ecológico