A Igreja católica celebra em todas as dioceses do mundo, hoje, 22, a partir das 13h, até o próximo domingo, 26 de junho, o X Encontro Mundial das Famílias. Pela primeira vez, o encontro ocorre de forma multicêntrica, conforme o desejo do Papa Francisco, ou seja, com atividades na sede principal e em todas as Igrejas particulares do planeta.

Na Diocese de Osório, Litoral Norte gaúcho, o bispo dom Jaime Pedro Kohl, incentivou que seja celebrada a Santa Missa nas igrejas sedes das paróquias, em intenção ao Encontro. Além disso, conforme motivação do presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da CNBB, dom Ricardo Hoepers, bispo do Rio Grande, dom Jaime escreveu uma carta endereçada à cada família das 23 paróquias da região.

Na carta, dom Jaime, a partir do tema do Encontro, “Amor em Família: vocação e caminho de santidade”, expressa que a proposta do evento “desperta uma visão muito bonita e positiva da família. Não como mera instituição, embora a primeira e a mais importante de todas, mas na dinâmica interna que a deve caracterizar: O AMOR. O amor deve marcar a origem e o fim da família. Sem esse ingrediente não há família que fique de pé e resista aos desafios dos tempos modernos”.

Acompanhe o X Encontro Mundial das Famílias por meio do site oficial do evento: www.romefamily2022.com/pt/

Confira a carta de dom Jaime Pedro às famílias da Diocese de Osório na íntegra:

“Onde dois ou três estão reunidos no meu nome, estou no meio deles” Mt 18,20.

Amada família,

Minha saudação de paz e alegria no Senhor Jesus, nossa esperança.

Gostaria de, através desta mensagem, expressar toda minha gratidão e amor a vocês, famílias presentes do Litoral Norte. Convido vocês a fazerem comunhão com as famílias do mundo inteiro, que participam do X Encontro Mundial das Famílias, que acontece em Roma de 22 a 26 de junho deste ano, com o tema: “Amor em Família: vocação e caminho de santidade”.

O tema do Encontro já desperta uma visão muito bonita e positiva da família. Não como mera instituição, embora a primeira e a mais importante de todas, mas na dinâmica interna que a deve caracterizar: O AMOR. O amor deve marcar a origem e o fim da família. Sem esse ingrediente não há família que fique de pé e resista aos desafios dos tempos modernos.

Quando o AMOR, traduzido em prosa, versos e gestos, como afeto, ternura, entrega, comunhão de vida…, reinar de fato na família, vai serenamente desembocar numa santidade contagiante de todos os seus membros.

Sabemos o quanto são desafiadores os tempos que vivemos; muito mais desafiadores para a família. Estamos certos que Deus não abandona, sequer se afasta um instante de cada família. Esta é nossa força: a presença amorosa do nosso Deus. Com Deus, somos capazes de superar qualquer dificuldade.

Vejamos em quantas belas formas a encíclica Amoris Laetitia do Papa Francisco nos fala:

“O próprio mistério da família cristã só se pode compreender plenamente à luz do amor infinito do Pai, que se manifestou em Cristo entregue até ao fim e vivo entre nós” (AL 59).

“A indissolubilidade do matrimônio não se deve entender primeiramente como ‘jugo’ imposto aos homens, mas como um ‘dom’ concedido às pessoas unidas em matrimônio” (AL 62).

“Que Nazaré nos ensine o que é a família, a sua comunhão de amor, a sua austera e simples beleza, o seu caráter sagrado e inviolável; aprendamos de Nazaré como é preciosa e insubstituível a educação familiar e como é fundamental e incomparável a sua função no plano social” (AL 66).

“O sacramento do matrimônio não é um rito vazio, mas um dom para a santificação e a salvação dos esposos, porque a sua pertença recíproca é a representação real, da mesma relação de Cristo com a Igreja” (AL 72).

“Vivida de modo humano e santificada pelo sacramento, a união sexual é, por sua vez, caminho de crescimento na vida da graça para os esposos. É o mistério nupcial” (AL 74).

Aos casais de segunda união o Papa exorta: “A Igreja olha com amor para aqueles que participam de modo imperfeito na vida dela; com eles invoca a graça da conversão; encoraja-os a fazerem o bem, a cuidarem com amor um do outro e colocarem-se ao serviço da comunidade onde vivem e trabalham…” (AL 78).

“A beleza do amor recíproco e gratuito, a alegria pela vida que nasce e a amorosa solicitude de todos os seus membros são apenas alguns dos frutos que tornam única e insubstituível a resposta à vocação da família, tanto para a igreja como para a sociedade inteira” (AL 88).

O papa insiste com os pastores para que sejam misericordiosos ao modelo de Jesus: “Perante as mais diversas situações que afetam a família, a igreja tem a missão de anunciar a misericórdia de Deus, coração pulsante do Evangelho, que por meio dela deve chegar ao coração de cada pessoa. A Esposa de Cristo assume o comportamento do Filho de Deus, que vai ao encontro de todos sem excluir ninguém. Ela bem sabe que o próprio Jesus se apresenta como Pastor das cem ovelhas, não de noventa e nove; e quer tê-las todas” (AL 309).

“Convido os pastores a escutar, com carinho e serenidade, com o desejo sincero de entrar no coração do drama das pessoas e compreender o seu ponto de vista, para ajudá-las a viver melhor e reconhecer o seu lugar na Igreja” (AL 312).

Creio que lendo com atenção essas manifestações do cuidado e carinho que o papa tem por vocês, queridas famílias, possam sentir-se abraçadas e amadas também por mim, seu bispo, e pelos padres, seus bons pastores, mesmo que nem sempre o manifestemos externamente. Tenham em nós alguém com quem contar em todas as horas. Queremos ser com vocês o rebanho do Bom Pastor Jesus: vivam vocês o amor em família, vivamos juntos o amor em comunidade.

Imploro a Deus Trindade, que no seu infinito amor derrame graças e bênçãos abundantes sobre a sua família e todas as do seu círculo de amizades ou parentesco. Que a Sagrada Família – Jesus, Maria e José – seja sempre seu modelo inspirador.

Atenciosamente,

Dom Jaime Pedro Kohl

Bispo de Osório

Acesse em pdf: O amor em família – Dom Jaime Pedro Kohl

PROGRAMAÇÃO (HORÁRIO):

Quarta-feira, 22

Festival das Famílias (13h às 15h), na Sala Paulo VI;

Quinta-feira, 23

Missa (3h30), presidida pelo Cardeal Kevin Joseph Farell, prefeito do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida, na Basílica de São Pedro;

Conferência 1 (5h15): Igreja doméstica e sinodalidade

*O tema será apresentado pelo casal Gregory e Lisa Popcak. “Fomos convidados a falar sobre a Liturgia da Vida Doméstica da Igreja, um modelo recém-articulado de espiritualidade familiar e de pastoral familiar que também pode ter implicações ainda mais amplas na maneira como a Igreja aborda a evangelização, o ministério, a vida paroquial e até como as dioceses e paróquias são estruturadas”, explicou Gregory em um artigo publicado em maio no site Our Sunday News.

Painel 1 (6h15): Matrimônio e sacerdócio: juntos para construir a Igreja

*Também se falará sobre como essas vocações são complementares e corresponsáveis; que famílias e pastores devem estar juntos na missão; e que a comunidade de fé deve ser como que uma família.

Painel 2 (7h30): Jovens e idosos juntos pela Igreja do futuro

*Serão abordados neste painel o papel dos avós, a participação dos jovens e idosos no caminho sinodal, e a atuação dos mais velhos nas ações pastorais da Igreja.

Conferência 2 (10h30): Acompanhamento dos primeiros anos do matrimônio

*Será ministrado pelo casal Eduardo e Mónica Gonzáles Soriano, que atuam na Pastoral Familiar da Arquidiocese de Toledo, na Espanha.

Painel 3 (11h15): O amor familiar em prova

*Entre os tópicos tratados se lembrará as maravilhas e fragilidades do amor em família, abordando ainda assuntos como traição e perdão e o abandono de membros familiares.

Painel 4 (12h45): Acompanhar a maternidade e paternidade

*Será lembrado que todos precisam de um pai e uma mãe; Também se falará sobre a adoção e a acolhida afetiva; e que sempre se deve acolher o nascituro.

Oração final (13h45)

Sexta-feira, 24

Missa (3h30), presidida pelo Cardeal Angelo De Donatis, na Basílica de São Pedro

Conferência 3 (5h15): Identidade e missão da família cristã

* Com Bênoit e Véronique Rabourdin, responsáveis pelo movimento apostólico Amor e Verdade. Eles falarão sobre os principais desafios e oportunidades para acolher e acompanhar os casais. Destacarão, ainda, a complementariedade missionária entre esposos e os ministros ordenados.

Painel 5 (6h15): Ser cristãos na era digital

*Entre os enfoques está o de que a família deve se centrar em Jesus Cristo; que é preciso transmitir a fé aos jovens; e se proporá a reflexão: as redes sociais são um “ambiente” para os nossos filhos?

Painel 6 (7h30): Vocação e missão nas periferias existenciais

*Neste painel se contemplará a missão da Igreja junto aos imigrantes, às pessoas com vícios e diante das situações de violência na família.

Conferência 4 (10h30): O catecumenato matrimonial

*Com Giovanni Nuzzi e Gabriella Gambino (subsecretária do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida). Entre os temas se refletirá sobre a preocupação da Igreja de que haja uma preparação mais aprofundada para o sacramento do Matrimônio, e que permita aos novos casais viver de modo mais consciente este sacramento.

Painel 7 (11h15): Formação de acompanhantes e formadores da família: leigos, padres e seminaristas

* Além de se falar sobre o processo de formação de padres e seminaristas para o acompanhamento das famílias, no painel também se refletirá sobre como orientar os jovens para a sexualidade e a afetividade; e o acompanhamento permanente dos noivos.

Painel 8 (13h45): A comunhão familiar, estilo de comunhão eclesial

*Essa atividade será na Praça de São João de Latrão e em paróquias da cidade de Roma.

Sábado, 25

Meditação e adoração eucarística (3h35), na Sala Paulo VI

Conferência 5 (5h15): Família, caminho de santidade

* Com Francesco Beltrame Quattrocci, Andrea Bicchiega e Patrizia Marchegiani

Painel 9 (6h15): Caminhos de santidade

*Além desta temática central, se falará sobre o discernimento na vida familiar cotidiana, o acompanhamento espiritual das novas formas de união, atitudes quando um dos cônjuges não é cristão, e o perdão como caminho de santidade.

Painel 10 (7h45): Matrimônio e família: santidade no cotidiano

Missa na Praça São Pedro (12h15), presidida pelo Papa Francisco

Domingo, 26

Participação na oração do Ângelus (6h45), com o Papa Francisco e bênção de envio

Fonte: Ascom PMAS / Melissa Maciel