Em audiência realizada na 9ª Vara Federal de Porto Alegre, conforme ação ingressada pelo município de Imbé e a Colônia de Pescadores e Aquicultores Z-39, foi autorizada a realização do “Projeto de Monitoramento da Atividade Pesqueira e Geração de Subsídios para o Manejo da Pesca do Bagre nos Municípios de Imbé e Tramandaí”.
Segundo a juíza Clarides Rahmeier, o objetivo dessa iniciativa é gerar conhecimento da atuação da pesca no estuário lagunar, possibilitando o seu controle. A magistrada destacou que a pesca é uma exceção e está restrita aos limites e condições estipuladas no estudo de monitoramento.
A comercialização será permitida, mas sua rastreabilidade deverá ser garantida para atestar sua origem no projeto. O Centro de Estudos Costeiros, Limnológicos e Marinhos (Ceclimar/UFRGS), órgão vinculado ao Instituto de Biociências da Universidade Federal do RS será o responsável pela pesquisa. Ficou determinado que o Ceclimar terá apoio das prefeituras de Imbé e de Tramandaí, das colônias e organizações de pescadores, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), da Emater e da Brigada Militar.
Segundo os pescadores, a quantidade de peixes no estuário de Tramandaí e Imbé é suficiente para que a pesca ocorra de forma sustentável.
 
Fonte: Blog da Gabi