Amanhã, quinta-feira, dia 07, senta novamente no banco dos réus no Fórum de Araranguá, Daniel Tomasi Bauer.

Ele é acusado pelo Ministério Público (MP) pelo crime de homicídio triplamente qualificado, tendo qualificadoras motivo torpe – envolvendo possivelmente o valor de R$ 300 mil do seguro de vida em nome da esposa, Gisele Monteiro Bauer, mediante surpresa e feminicídio, sendo executada com 8 disparos de arma de fogo pelas costas e um no peito. O crime ocorreu às 20 horas do dia 27 de maio de 2015 na casa do casal, na localidade da Sanga da Toca, durante um suposto latrocínio, em Araranguá.

Daniel foi inocentado pelos jurados no primeiro júri em junho de 2017. Contudo, o Promotor de Justiça, Dr. Gabriel Ricardo Zanon Meyer requereu que fosse anulada a sessão de julgamento realizada pelo Tribunal do Júri da Comarca de Araranguá, pois durante o júri o advogado de defesa do réu exibiu uma fotografia que não havia sido juntada aos autos.

Agora, Daniel volta a ser julgado pela execução da esposa.

Fonte: Portal Agora