Durante coletiva de imprensa concedida na tarde desta terça-feira, 24 de agosto, na delegacia de Polícia Civil de Torres, pelo subchefe da Polícia Civil, delegado Fábio Mota Lopes, e pela delegada regional, Sabrina Defentte, foi confirmado que a conduta de cinco Policiais Militares são investigadas pela Polícia Civil, por envolvimento na morte do policial rodoviário aposentado, Fábio Zortea de 59 anos.

Destes cinco PMs investigados, dois deles participaram da ação que culminou na morte de Fábio Zortea, e três chegaram ao local posteriormente. A Brigada Militar informou, através de nota, que todos já estão afastados de suas funções.

Segundo o Delegado Fábio Mota, duas situações são investigadas nesse momento pela Polícia Civil, a situação que culminou na abordagem dos dois filhos da vítima por parte da Brigada Militar, e a abordagem em si, que acabou na morte de Fábio. “A Polícia Civil será mais imparcial possível” pontuou o delegado, durante a coletiva.

No final da tarde de hoje, o delegado Adriano, atual responsável pelo caso, passará as informações ao delegado titular da Polícia Civil de Torres, Juliano Aguiar de Carvalho, que antecipou o fim de suas férias, e assumirá as investigações.

Perguntado pela Central de Jornalismo da Rádio Maristela, o Delegado não soube responder se os PMs que participaram da ação estavam munidos apenas com arma de fogo, ou com alguma outra arma de contenção, que pudesse ter evitado a morte do policial rodoviário aposentado, Fábio Zortea. Essa e outras respostas, caberão agora às investigações do caso.