A SOSSEG, empresa de vigilância de Torres, divulgou nota, na qual esclarece que o segurança que aparece nas imagens, nas quais o policial rodoviário aposentado Fábio Zortea é morto a tiros durante abordagem da Brigada Militar, não pertence ao seu quadro de funcionários.

De acordo com a nota, a empresa se manifestou por conta de áudio que vem circulando nas redes sociais, alegando que a pessoa que aparece agredindo a vítima, Fábio Zortea e seus dois filhos, seria vinculada à empresa.

Confira a nota:

A SOSSEG, empresa conhecida da comunidade de Torres, vem à público e em respeito a seus clientes esclarecer que, em razão da circulação de um áudio que inveridicamente a envolve no trágico acontecimento que culminou na morte de Fábio Zortéia, a pessoa civil que aparece na filmagem juntamente com os policiais militares, NÃO PERTENCE E JAMAIS PERTENCEU ao seu quadro de funcionários. Este esclarecimento se faz necessário para que o nome da SOSSEG continue a ser respeitado como empresa íntegra que sempre foi.