No sábado, 20 de novembro, o Movimento de Cursilhos de Cristandade (MCC) da Diocese de Osório reuniu o Grupo Executivo Diocesano (GED) e os representantes dos sete setores e seus assessores eclesiásticos para a sua primeira assembleia diocesana, desde a sua criação. O encontro ocorreu no Centro de Pastoral da Paróquia São Domingos, em Torres.

A assembleia teve início com uma fala do coordenador Luizinho Santos da Rosa, onde comunicou que as assembleias, a partir deste ano, serão anuais. Sempre após a Assembleia Regional do Grupo Executivo Regional SUL III, entre a segunda quinzena do mês de março e a primeira quinzena do mês de abril.

O casal Fabiano Silveira de Oliveira e Carmem Lucia de Souza Oliveira apresentaram o Roteiro de Estudos para as Escolas Vivenciais e Assembleias, que tem como proposta de trabalho a busca da santidade sendo profetas, rumo ao jubileu de 60 anos do MCC no Brasil, através da pedagogia do encontro proposto pelo Papa Francisco em sua Encíclica Fratelli Tutti, “Somos Todos Irmãos”.

O bispo da Diocese de Osório, dom Jaime Pedro Kohl, citou o Documento 105 da CNBB, que fala do protagonismo dos leigos e leigas, sal e luz no mundo, na família, na comunidade, no grupo e na Igreja.

“O cristão leigo é filho de Deus na fé, vivendo em comunidade e com responsabilidade, junto aos padres, em ação compartilhada: ser Igreja no mundo. Os leigos são a ponte para que a Igreja cumpra a sua missão”, ressaltou o bispo.

O assessor eclesiástico do MCC, padre Jair de Pinho, usou seu tempo para falar da importância da Palavra de Deus, da oração, da Eucaristia e do estudo.

“A ação é um desafio, sairmos da Igreja e irmos ao encontro, a origem da Igreja, que é Jesus Cristo. Assumirmos isso como missão: evangelizar os diferentes ambientes”, afirmou o assessor.

Na assembleia foi realizada a primeira eleição para coordenador e vice coordenador do GED. E, por aclamação, foram eleitos Fabiano Silveira de Oliveira, do setor de Torres, como coordenador, e Antônio Iaronka, do setor de Capão da Canoa, como vice-coordenador.

De acordo com o novo coordenador, é preciso união do GED com os setores e para que isso aconteça deve haver uma maior colaboração entre os diferentes setores, apesar de viverem realidades diversas.

“Organizaremos um GED que trabalhará em prol da Igreja, tanto diocesana, quanto paroquial, colocando-nos a serviço e emprestando nossos dons a Evangelização. Não podemos mais nos reduzirmos a um retiro anual. O MCC é muito mais do que isso. E, para que possamos realizar tudo o que temos em mente é necessário que o GED esteja muito mais presente nos setores e estes comprometidos em serem Igreja viva em permanente estado de missão”, salienta Fabiano.

Já o vice-coordenador, ressaltou a importância da união do GED, dos leigos e da organização do Movimento. Iaronka

Por fim, foi realizada uma plenária, onde todos os setores puderam manifestar-se sobre suas angústias e sobre suas ações realizadas nos anos de 2020 e 2021. Após, foi construído o compromisso do MCC para os próximos meses:

“GED e setores realizando momento de integração, motivando a abertura ao novo, ao tripé (oração, estudo e ação), objetivando voltar as fontes de origem do MCC e jamais desanimar”.

Fonte: Diocese de Osório